• Nosso apê: vlog #1

    01/12/2017

    Esse vídeo é muito, muito, MUITOOO especial pra mim! Eu e o Doug compramos nosso primeiro apartamento! É um cantinho pequeno, do tamanho ideal…

  • Feliz 7 anos de Fluffy!

    16/11/2017

    7 anos, quem diria! Nesses dias, me peguei pensando naqueles primeiros anos, e até no motivo que me levou a criar o Fluffy. Nunca pensei que poderia durar tanto tempo e me trazer tanto conhecimento, alegrias e gente incrível (como você!) pra dentro da minha vida!

  • Vídeo: Tour da minha estante de livros

    12/11/2017

    Muitos leitores me pediram, e aqui está o novo Bookshelf Tour – um tour da minha estante de livros, mostrando um pouquinho dos livros que tenho por aqui. E também falei que, devido a uma mudança grande que está por vir na minha rotina, não sei ainda com qual frequência vou conseguir gravar, mas vou tentar manter esse vlog atualizado, na medida do possível.

  • John Green – Tartarugas até lá embaixo

    06/11/2017

    Tartarugas até lá embaixo é lançado seis anos após a publicação de A culpa é das estrelas, e é dito como o mais pessoal de todos os livros de John Green. Após finalizar a leitura, fiz uma pequena pesquisa sobre o Transtorno Obsessivo Compulsivo (ou TOC), assunto em pauta na história, e fiquei sabendo que o próprio autor sofre dessa doença que também afeta a vida da protagonista do livro, Aza Holmes, de forma bem similar.

  • Brian Selznick – A invenção de Hugo Cabret

    31/10/2017

    Há alguns dias, descobri um pequeno arrependimento pessoal no mundo da literatura: o fato de não ter conhecido a história e o mundo (e a invenção!) de Hugo Cabret antes. Cinco anos após a minha aquisição do livro, e dez anos após a publicação pela editora SM, eu finalmente decidi que seria a vez desta leitura. E, uma vez começada, não consegui parar até chegar à última página.

  • Chevy Stevens – Identidade roubada

    17/10/2017

    Iniciei a leitura de Identidade Roubada sem grandes expectativas. A sinopse, juntamente com o tema, já não me interessavam mais tanto. Porém, como a nota no Skoob estava alta, resolvi dar uma chance. No fim, é difícil encontrar palavras pra explicar tudo o que senti com essa história, mas uma coisa posso dizer: não me arrependo de ter lido!