Cammie McGovern – Amy & Matthew

resenha do livro Amy & Matthew

Amy & Matthew
Cammie McGovern
Editora Galera Record, 2015
336 páginas

Saraiva

Amy e Matthew não se conheciam realmente. Não eram amigos. Matthew sabia quem ela era, claro, mas ele também sabia quem eram várias outras pessoas que não eram seus amigos. Amy tinha uma eterna fachada de felicidade estampada em seu rosto, mesmo tendo uma debilitante deficiência que restringe seus movimentos. Matthew nunca planejou contar a Amy o que pensava, mas depois que a diz para enxergar a realidade e parar de se enganar, ela percebe que é exatamente de alguém assim que precisa. À medida que passam mais tempo juntos, Amy descobre que Matthew também tem seus problemas e segredos, e decide tentar ajudá-lo da mesma forma que ele a ajudou. E quando a relação que começou como uma amizade se transforma em outra coisa que nenhum dos dois esperava (ou sabe definir), eles percebem que falam tudo um para o outro… exceto o que mais importa.

Amy & Matthew pode, a princípio, parecer um pouco com Eleanor & Park pela similaridade do título e da capa. Um pouquinho dos personagens pode ser similar também, pois eles se amam, mas têm alguns “problemas” em expressar esse sentimento. Porém, a similaridade acaba por aí. Enquanto o livro da Novo Século foi um pouquinho difícil para mim, Amy & Matthew fluiu melhor e me conquistou de formas que o primeiro não conseguiu. Não é meu objetivo aqui comparar os dois livros, até porque são de autoras diferentes, mas não poderia deixar de falar essas palavras, visto que tanta gente tem lembrado do livro mais antigo vendo o lançamento da Galera Record. Mas vamos falar sobre o livro em questão nessa resenha.

Amy é uma garota com paralisia cerebral que só consegue se locomover com a ajuda de um andador, além de possuir um corpo que não a obedece na maioria das vezes e precisar de um computador para falar. Por não conseguir comer sem deixar quase toda a comida cair sobre seu colo, ela não almoça no refeitório e seus únicos amigos são os professores. Apesar de sua inteligência ser intacta e acima da média, desde o início do colegial ela não fala com ninguém, embora todos saibam que ela é. Matthew é uma dessas pessoas. Ele tem mania de conferir as coisas vezes demais, bater nos armários na entrada do colégio e lavar as mãos. Ele tem uma obsessão com sujeira e a sensação é de que precisa lavar as mãos a todo o momento. Porém, pra ele isso era normal.

Quando a mãe de Amy paga alunos voluntários para ajudarem-na nas aulas, dispensando assim o profissional que a acompanhava sempre, Matthew e outros três alunos passam a conhecer Amy melhor e entender que, por trás da estudante que todos conhecem de vista, está uma garota inteligente e que só quer tirar o melhor da vida, apesar de sua condição física.

Matthew é, de longe, o aluno mais dedicado de todos os voluntários que ela tem. Porém, essa amizade forçada começa a se tornar algo verdadeiro e, à medida que eles vão se conhecendo, ela percebe que não é a única ali enfrentando um problema: a obsessão de Matthew tem nome e precisa de cura. Portanto, como forma de retribuir a ajuda dele, ela começa a lhe ajudar também. Com o tempo, o que era amizade começa a se tornar algo maior e, antes que os dois percebam, seus dias começam a ficar melhores quando estão um ao lado do outro. Mas nenhum dos dois consegue achar o melhor momento para o que deve ser dito.

resenha do livro Amy & Matthew

Este é daqueles livros que a gente lê e nem percebe; que nos cativa, nos prende e a gente passa a não querer fazer mais nada além de ler. Comigo foi assim: deixei todos os filmes e séries de lado somente para terminar essa leitura, pois era impossível parar. Amy é incrivelmente cativante. Mesmo que seu computador seja de última geração, ele ainda não imita perfeitamente a voz humana e não tem interjeições. Então, ninguém entende as suas piadas, mas ela as faz do mesmo jeito. Matthew é encantador no seu modo cuidadoso, carinhoso e extremamente preocupado. Juntos, os dois aprendem a se ajudar, e a leitura transmite uma pureza e inocência de sentimento que é impossível passar despercebido. Quem diria que nasceria um relacionamento tão bonito ali, entre duas pessoas que estudaram durante anos juntos mas que nunca se olharam de fato?

A narrativa em terceira pessoa flui com muita naturalidade. Acompanhamos enquanto um deles supera seus obstáculos na paralisia e o outro luta contra a voz que insiste em falar dentro de sua cabeça, fazendo-o se fechar para o mundo exterior. Então, além de ser apenas um romance entre dois personagens, enxergamos a beleza na diferença do ser humano, na ausência de preconceito e na sutileza do sentimento mais puro, em essência.

resenha do livro Amy & Matthew

Pode ser que a sinopse não lhe chame a atenção, mas acredite em mim: é muito mais do que isso. Não é um livro cansativo e você não tem vontade de gritar pra eles: “fala logo que ama!”, como acontece com outros romances. É simplesmente um livro que merece ser lido.

POSTS RELACIONADOS

18 comentários

  1. Responder

    Isa

    25/02/2015

    Awn eu tô super animada pra ler esse livro. Li resenhas positivas como a sua e achei a história super amorzinho <3 A capa é super fofa também!

  2. Responder

    Cecília Maria

    25/02/2015

    Eu adorei Eleanor & Park e se você diz que Amy & Matthew é ainda melhor então eu tenho certeza de que vou amar. Já tinha lido algumas resenhas, mas só a capa e a sinopse já me fariam comprar. Estou realmente louca para ler esse livro, mas como estou há duas semanas de voltar às aulas e ainda tem cinco livros pendentes na estante acho que vai demorar um pouco para eu me encantar por esses dois.

  3. Responder

    Marina Ribacki

    25/02/2015

    Parece mesmo ser um bom livro para ler! Tô numa ressaquinha literária batendo forte em mim, então tô precisando mesmo de livros mais fluídos e fáceis de acompanhar. Beijos <3

  4. Responder

    Jessica M

    25/02/2015

    A primeira coisa que pensei quando olhei para a capa foi “Eleanor & Park”! haha’
    Mas as resenhas que li sobre esse livro me fizeram ter mais vontade de ler, parece ser muito fofo!
    Beijos!

    • Responder

      Gabi Orlandin

      05/03/2015

      Acho que não tem como não associar as duas capas, né? Ficaram muito parecidas!
      Espero que você goste da leitura, quando ler.
      Beijos!

  5. Responder

    Ana

    25/02/2015

    Ah, que interessante. Eu, quando vi a capa e o título, fiquei também achando que era outro Eleanor e Park. Mas fiquei surpresa com tua resenha, Gabi, bacana que a autora abordou assuntos de saúde mental e deficiência física, que não são tão divulgados nos livros.

  6. Responder

    Beatriz Cavalcante

    25/02/2015

    Ai Gabi acredita que eu acabei não gostando tanto assim do livro? Eu estava tão animada mas depois comecei a ficar um pouco desanimada com a história. Achei um pouco forçado colocar dois personagens com doenças graves e ter romance entre os dois. Mas amei Matthew e achei ele muito fofinho! <3

    Beijos!

    • Responder

      Gabi Orlandin

      05/03/2015

      Sério Bia? Poxa, eu curti tanto essa coisa da autora fazer dois personagens diferentes se apaixonarem. E o Matthew não tem uma doença séria, achei fofo a Amy tentando ajudar ele. Mas opiniões são pessoais, né? Haha! O Matthew é realmente super fofo.
      Beijos!

  7. Responder

    Mary

    26/02/2015

    Eu já tinha um pouco de curiosidade de ler esse livro, depois do seu post tô me segurando pra não ir agora comprar esse livro! Realmente parece ser bem mais do que uma simples história de amor. Gosto quando os livros não falam de personagens comuns ou “perfeitos” então esse certamente vai pra minha lista de “quero (muito) ler!” *.*

    • Responder

      Gabi Orlandin

      05/03/2015

      Eu espero muito que você goste da leitura, Mary! Acho que foi justamente essa coisa dos personagens não serem perfeitos que me cativou. <3
      Beijos!

  8. Responder

    Jaque

    26/02/2015

    GENTE, EU QUERO ESSE LIVRO!

    Tô cheia de livros em casa e meus amigos não estão me deixando comprar mais nada, eles falam até que eu não posso mais entrar em uma livraria, acredita?

    Peguei esse livro ontem, mas não me deixaram levar 🙁

    Agora eu tô nem ai, vou comprar e ponto. Sua resenha tá ótima!

    • Responder

      Gabi Orlandin

      05/03/2015

      HAHAHAH, eu acredito Jaque! Estou na mesma situação!
      Espero que você goste muito dessa história, assim como eu.
      Beijão.

  9. Responder

    Lakota Mellyssa

    26/02/2015

    Nossa, eu realmente estava com um pé atrás com esse livro, pois a capa já chamava atenção por parecer uma capa tipica de Rowell, mas agora quero simplesmente correr ali na livraria e pegar meu novo amor. *———* Agora tô tocada com essa resenha.

    • Responder

      Gabi Orlandin

      05/03/2015

      Oi, Lakota!
      Fico feliz que minha resenha tenha te empolgado! Espero que, quando você ler, goste tanto da história como eu gostei. Depois me conta? 😉
      Beijos!

  10. Responder

    Juliana

    27/02/2015

    Que lindo, Gabi. Terminei de ler com sentimento de leveza :}}}
    Adorei, quero muito ler!

    Beijos!

  11. Responder

    Bia Medeiros

    28/02/2015

    Eu estava de boas olhando os lançamentos no Skoob quando me deparei com esse livro. Realmente a primeira coisa que me veio a cabeça foi “nossa, parece com a capa de Eleanor & Park, vou ler a sinopse”. Confesso que a sinopse não me chamou muita atenção e o que realmente me fez colocá-lo na lista de desejados foi um vídeo-resenha do canal Geek Freak, algo como “Amy & Matthew é o filho de A culpa é das estrelas com Eleanor & Park” hahaha Já quero! Ótima resenha :*

    • Responder

      Gabi Orlandin

      05/03/2015

      Acho que é impossível não relacionar esse livro com Eleanor & Park, né?
      hahahaha, adorei a comparação. Acho que pode ser algo nesse estilo mesmo! Espero que você goste muito da leitura!
      Beijo.

  12. Responder

    yasmin

    28/11/2015

    [love] que linda a história, vou comprar o livro <3

ESCREVA UM COMENTÁRIO