Dicas para quem quer viajar!

Em agosto de 2014 eu, meu namorado e um casal de amigos pegamos a estrada para os Estados Unidos. O roteiro principal foi San Francisco, Los Angeles e Las Vegas, passando por cidades menores que ficavam nesse caminho. Postei sobre a viagem aqui no blog, em uma série de posts que chamei de Diário de Viagem. Você pode conferir todos os posts listados nessa página.

Então, pra fechar essa coluna com chave de ouro, vou dar a vocês algumas dicas de como fizemos nossa viagem. Não sigam isso como se fosse um guia de regras e não considerem as minhas palavras como absolutas, pois afinal, eu fiz apenas UMA viagem “grande” até agora, e não tenho muita experiência sobre o mundo. Nisso os blogs de viagem são infinitamente melhores. Mas acho que vale a pena falar um pouco sobre como se deram as decisões, pois talvez algo que eu disser pode ajudar alguém que está pensando em viajar – seja pra fora do Brasil ou não.

São dicas de viagem básicas e simples, mas espero ter abrangido um panorama geral que vai te ajudar em algum momento a planejar a sua próxima viagem. Sem mais, aproveitem! 😉


Escolhendo o destino

Vou dar um exemplo meio bobo: eu quero muito conhecer o Nordeste porque todos dizem que as praias de lá são lindas. Eu acredito, pois só vendo em foto já dá vontade de se atirar pra dentro do computador. Mas tenho que levar em conta que não gosto muito de calorão. O que quero dizer é: na hora de escolher o destino, pense naquilo que você gosta de verdade. Se você curte aventura, escolha um lugar onde dê pra fazer várias atividades; se ama inverno, vá a um lugar frio; se quer descanso, escolha um lugar calmo. Opte por aquilo que tem a ver com você e que não vai te cansar. Afinal, você vai gastar dinheiro em um passeio que tem que ser incrível do começo ao fim!
Destino nacional ou internacional? Muita gente diz que pra viajar pra fora do país tem que ter muito dinheiro, mas não é sempre assim. Comigo, aconteceu de dar praticamente o mesmo valor ir à Buenos Aires por uma semana ou ao Rio de Janeiro por dois dias. Não generalizando, porque pra ir aos EUA ou à Europa, por exemplo, precisa de mais dinheiro mesmo, mas se quiser muito ir ao exterior, é bom lembrar que tem opções mais em conta também. 😉

Pesquise sobre os destinos que lhe interessam e veja se isso está dentro do que você deseja, tanto no lado do “querer estar lá” como no sentido financeiro.


Criando o roteiro da sua viagem

Definido o destino, é hora de listar tudo o que você quer conhecer nesse lugar. Vamos ter como exemplo a viagem que eu fiz aos EUA. Cerca de 6 meses antes, nós nos reunimos e traçamos a rota inteira no mapa, vendo o que ficava no caminho, estipulando um tempo pra cada cidade. Dentro de cada cidade, pesquisamos pontos turísticos e colocamos um pouco por dia, levando em conta o tempo de chegar, hora de abertura do local (se for um parque, por exemplo) e vários outros fatores. Não adianta querer colocar a cidade toda no roteiro, mas coloque tudo o que você quer ver, só não fique chateado se não cumprir “a meta” diária, porque isso é bem normal! 😀 Na nossa viagem, usamos o site Tripomatic pra deixar nossa rota registrada: dá pra adicionar pontos turísticos, hotéis, eventos e muito mais e ainda te oferece um PDF com a viagem completa. Nós baixamos e fizemos um livrinho pra levar!


Passagens aéreas, aluguel de carro, hotéis e entradas

Passagens: se você planeja viajar de avião, pesquise com um tempo de antecedência (as agências recomendam 6 meses antes pelo custo/benefício). Não veja somente voos diretos ou que chegam e saem de apenas um aeroporto. Veja se não há aeroportos próximos; se não há uma opção com uma escala a mais que compense no bolso; se não vale a pena usar um aeroporto na ida e outro na volta. Peça ajuda das agências de viagem se você quiser, principalmente se for passagem internacional. Pra ajudar na busca, visite o Skyscanner, que nos ajudou na compra das passagens aos EUA.

Aluguel de carro: pesquise as formas de se locomover na cidade que você vai, pois cada local tem uma infraestrutura que demanda ou não de você alugar um carro. Nos EUA nossa viagem ia ser por várias cidades, então era melhor ter um carro. Estávamos em 4 pessoas e alugamos uma Jeep que ficou dentro do orçamento. Pense que você terá malas e, se forem em mais pessoas, o carro terá que abrigar todas elas – e um espaço extra caso comprarem mais. Também vale ver isso com uma agência, principalmente se for viagem internacional.

Hotéis: pela experiência que tive, recomendo reservar hotéis certinhos antes de ir viajar. Com o roteiro 100% definido e concluído, veja que dias você estará em determinada cidade, e pegue hotéis nessas localidades. Claro que se você for pra apenas uma cidade, normalmente isso anula todo o serviço e você só precisa escolher um. Vale lembrar: não fique com um hotel muito duvidoso, barato ou distante. Em primeiro lugar, segurança e limpeza, certo? Existem muitas opções ótimas que não têm o preço de um hotel cinco estrelas.

Entradas: isso vale para viagem nacional ou internacional. Se você vai ao zoológico, circo, exposição ou qualquer evento que precise comprar tickets, veja se há como comprar pela internet. Ir com os tickets comprados vai te ajudar a evitar filas de compra, por exemplo. Quando fui ao Rio de Janeiro, não sabia que a entrada para o Cristo Redentor tinha que ser comprada pela internet e quase fiquei sem conhece-lo. Por isso, sempre informe-se e, se possível, garanta e compre as entradas antecipadamente.


Pacote de viagem ou compra por conta?

Há quem goste de viajar em excursões, em que há pacotes fechados com passagem, hotel e entradas inclusas. E há quem prefira viajar por conta. Eu não defendo um lado ou outro, porque eles têm que se adequar ao que cada um procura, mas prefiro viajar por conta, tanto que quase todas as minhas viagens até hoje foram assim. Vantagens? Além do preço poder ser mais baixo por poder escolher opções de passagem/hotel/atrações, também tenho a liberdade de fazer meu próprio roteiro, sem depender de um grupo. Mas tem gente que não se sente bem fazendo tudo sozinho e prefere comprar o pacote pronto. Só é preciso pesquisar sobre a agência que vende esses pacotes prontos antes e fazer orçamentos para ver o que vale mais a pena.


Passaporte e visto (para viagem internacional)

Quer viajar para o exterior? Adiante-se e faça seu passaporte. Quando fui para a Argentina, eu não tinha passaporte, pois os países do Mercosul não exigem (não sei se são todos, mas no Uruguai/Argentina/Paraguai eles não pedem). Porém, quando resolvi ir aos EUA, tive que fazer. Se você ainda não sabe pra onde quer ir, garanta e já faça. Não custa caro e demora cerca de um mês pra ficar pronto.

Se você já tem passaporte e pretende ir aos EUA, tem que ter o visto americano. Ele é demorado e um pouco estressante pra fazer, então não perca tempo e já comece a ver sobre isso (garanta o visto antes da passagem, pois se por algum motivo você for recusado pelo consulado, ficará com uma passagem que não pode usar). Eu contratei um despachante para me ajudar a fazer esse documento, pois não sabia nem por onde começar. Se você não quer pagar alguém, pode fazer por conta, mas recomendo que leia artigos sobre como fazer, como se portar e quais atitudes tomar no dia da entrevista.

Na hora da entrevista no consulado, tudo vai parecer um bicho de sete, oito ou doze cabeças (eu quase tive um treco na fila), mas é bem tranquilo e as pessoas estão lá pra te dar o visto. Se elas não te aceitarem, é porque tem alguma coisa que não está fechando nas suas informações.

O visto tem duas etapas: um dia no CASV, que é onde tiram a foto e suas impressões digitais, e um dia no Consulado para a entrevista, onde eles vão combinar suas informações e te fazer algumas perguntas, como: o que você vai fazer nos EUA, quantos dias pretende ficar, que dia volta, e principalmente o que você faz no Brasil. É importantíssimo comprovar vínculos brasileiros que te façam ter motivos pra voltar, como estudo, trabalho ou bens materiais. Quanto mais vínculos você tiver com o Brasil que puder comprovar, melhor, mas você vai precisar ter todos os documentos comprovatórios junto. Se você pretende fazer por conta, pode começar dando uma olhada no site do consulado.


Seguro de viagem internacional: ter ou não ter?

Depende você, mas se eu pudesse te dar um conselho é: faça seguro de viagem. Nós fizemos para a nossa viagem e não usamos (graças a Deus!), mas e se a gente precisasse e não tivesse? É um gasto a mais? Sim, mas a gente nunca sabe quando e se vai precisar. Acho que, na dúvida, é melhor fazer pois é uma segurança a mais pra nossa viagem. Fiz com a agência de turismo e peguei a opção mais barata que eles ofereciam (entre 50 a 100 dólares). Procure se informar em uma agência de sua confiança.


Quanto dinheiro levar?

Antes de mais nada, uma palavrinha mágica: PLANEJAMENTO. Coloque na ponta do lápis tudo o que você vai ter de despesa: refeições, hotéis, transportes ou combustível, entradas de atrações, estacionamentos (se for de carro), além dos seus gastos pessoais. Faça os cálculos do que você tem disponível pra gastar no momento e o quanto você vai conseguir, com certeza, guardar até o momento de viajar. Não some ao montante um dinheiro que talvez não chegue. Tenha pé no chão pra não voltar endividado.

• Leve um pouco de dinheiro em mãos, principalmente para entrar no país. Ninguém me pediu nada na alfândega dos EUA, mas é bom prevenir.

• Procure se controlar no cartão de crédito. Além das taxas (IOF), você não sabe como estará a cotação quando vier a fatura. Pode ser que você comprou por um valor e o dólar/euro/etc esteja mais caro na volta. Dependendo do valor, isso pode ser um rombo no orçamento.

• Recomendo o Visa Travel Money, um cartão de débito somente para compras internacionais que você carrega aqui no Brasil e converte na hora com a cotação do dia, pra gastar quando quiser. Ele também tem IOF, mas a cotação já foi paga e você não precisa ficar com medo de levar um susto uns dias depois. Se faltar dinheiro, é só pedir pra alguém aqui do Brasil depositar pra você. É tranquilo, seguro e fácil de usar.


O que levar na mala?

Eu nem preciso dizer, mas: saiba a temperatura do lugar pra onde você está indo. Se você vai pro calor, não precisa levar mais do que um casaquinho e uma calça comprida pra caso esfriar, e vale o mesmo pro inverno. Se você vai para um lugar onde sabe que os preços são baixos e pretende comprar bastante, leve menos roupa. Quando fui aos EUA, eu levei uma mala quase vazia, com o básico pra usar por uns 3 dias, até que a gente fizesse compras. Vai por mim: você vai encher essa mala. Eu não acreditei quando me disseram isso, e eu mesma quase tive que comprar uma mala reserva pra colocar tudo dentro. Ah! E cuidado com eletrônicos, tá? Você deve saber que tem uma quantia pra trazer de lá. Não dá pra vir com notebook, celular, tablet e tudo o mais, pois se você for parado na alfândega, vai ter que declarar esses valores e pagar impostos. Então, acalma esse coração!


Telefone e comunicação

Se você estiver no Brasil, cada um tem seu próprio telefone, mas se vai pra fora do país, é bom habilitar um plano da operadora ou comprar um CHIP com um número do país de destino. Em um grupo grande, é importante que mais do que uma pessoa tenha um número funcionando. Pra quem vai aos EUA, recomendo a Travel Mobile, que foi muito, muito útil pra nós. Você pode conhecer mais o serviço deles aqui nesse post.


Acredito que por enquanto as dicas são essas, pessoal! Se tiverem dúvidas, podem deixar nos comentários que eu vou responder (mesmo eu sabendo ou não a resposta). Se tiverem críticas ou sugestões, fiquem à vontade para escrever aqui.

POSTS RELACIONADOS

14 comentários

  1. Responder

    Juliana

    03/02/2015

    Post pra ficar nos favoritos!!! Espero usar as dicas em breve xDD

    Beijos!

  2. Responder

    Jessica M

    03/02/2015

    Dicas assim a gente salva!! São úteis hehe
    Meu maior medo é o passaporte e a burocracia para tirar. Demora muito, Gabi?
    Beijos!

    • Responder

      Gabi Orlandin

      03/02/2015

      Oi, Jess!
      Demorou cerca de um mês para o meu passaporte ficar pronto. Ele não é tão complicado de fazer, o mais chato e burocrático é o visto americano.
      Beijos.

  3. Responder

    Patricia Leardine

    03/02/2015

    Não é puxar saco, mas esse foi o post mais completo que eu já li sobre planejamento para viagens. Algumas coisinhas eu já faço, mas agora tô na fase de aprender as questões para viagens internacionais. Cada viagem uma experiência nova, sempre. Procuro me informar antes, sem paranoias, mas para não ficar tão perdida quando chegar e poder aproveitar melhor os destinos. Também costumo me perguntar (antes de começar a planejar) o tipo de experiência que eu gostaria de ter. Isso me ajuda a encontrar o destino, muito mais que escolher uma cidade apenas, escolher as experiências que eu gostaria de viver lá, por exemplo, comer (sempre! rs), andar a cavalo, caminhar, fotografar, passear de barco, enfim.

  4. Responder

    Patricia Leardine

    03/02/2015

    Não quero ser a leitora chata mas vou deixar uma sugestão. Vi lá no blog da Loma, o Sernaiotto. Você já pensou em fazer um planner de viagem para compartilhar aqui no blog? Depois dessas dicas, imagino que o seu planner deve ser muito prático. Ok, é só uma sugestão [smile]

    • Responder

      Gabi Orlandin

      09/02/2015

      Oi, Pati!
      Você é uma leitora super querida. Sempre que tiver sugestões, pode deixar aqui 🙂
      Estive pensando sobre esse planner, e vou ver se um dia consigo elaborar algo em cima de como foi o nosso planejamento. Obrigada, viu?
      Beijos.

  5. Responder

    Mariana Nicolino

    06/02/2015

    Ótimas dicas! =] Vou p/ a Europa em abril. Então no meu caso, ñ tenho como fugir do seguro viagem, que é obrigatório na maioria dos países por onde passarei. Alguém pode me indicar uma boa seguradora? beijos

    • Responder

      Gabi Orlandin

      10/02/2015

      Oi, Mariana!
      Que bom que gostou das dicas. Eu fiz o seguro de viagem na própria agência de turismo que me auxiliou em algumas coisas, e eles fizeram pela empresa Coris (coris.com.br). Como não tive que usar (ainda bem! hehe), não sei te dizer se é bom. É o único que conheço.
      Beijos.

    • Responder

      Gabi Orlandin

      25/02/2015

      Oi, Mariana!
      Há algum tempo você perguntou sobre seguro de viagem, e hoje uma leitora me falou sobre o site Tourist Card: http://www.touristcard.com.br/
      Espero que ajude 🙂
      Beijo!

  6. Responder

    Laisa Helena

    10/02/2015

    Oi Gaabi,
    Que post maravilhoso, taantas das minhas dúvidas foram esclarecidas! Espero poder colocar essas dicas em prática logo. Hehe
    A viagem é ótima, mas agora vendo tudo que tu passou, que sufoco hein? Ainda bem que no final tudo compensa! Ameei o diário de viagem e espero que tu viaje novamente logo, pois assim tu nos leva junto um pouquinho [happy]
    Beeijos <3

    • Responder

      Gabi Orlandin

      10/02/2015

      Oi, Laisa!
      Ai, que bom que esclareci algumas dúvidas. É bem complicado colocar tudo isso em dia, e a época de organizar é um sufoco mesmo, mas vale a pena, né? Já estou planejando a próxima viagem, e se der certo vou avisar aqui no blog 😀
      Beijo!

  7. Responder

    Carol Mascarenhas

    19/02/2015

    Cara, quanta coisa! Se eu fosse pros EUA, eu guardaria muito dinheiro, porque provavelmente eu ia querer trazer tudo de lá. HAHA, mas não daria. Provavelmente, eu compraria mais eletrônicos do que roupa e gastaria mais dinheiro comendo lá do que comprando coisas pra trazer pro Brasil, apesar de estar ciente que as roupas lá são lindas e baratas. Acho que teria muito medo na hora de fazer a entrevista pra tirar o visto, sou super cagona e.e. Mas as dicas serviram demais gente :O. Vou até deixar nos meus favoritos, vai que um dia rola eu ir pros EUA né? HAHA.
    Um super beijo Cores de Dezembro

  8. Responder

    Yasmin Sobreira

    24/02/2015

    Show o post … sempre me enrolo qd vou planejar as minhas viagens! Rs A Mariana perguntou sobre seguro, eu fecho c/ essa empresa: http://www.touristcard.com.br Eles tem um plano p/ Europa. Se eu ñ me engano, chama EuroCard. bj bj

ESCREVA UM COMENTÁRIO