Ella Griffin – Postais do coração

resenha do livro Postais do coração

Postais do coração
Ella Griffin
Editora Novo Conceito, 2012
448 páginas

Submarino Saraiva

Saffy tem um trabalho incrível em uma agência de propaganda em Dublin. Ela tem sua difícil mãe a uma distância segura. E ela acredita que seu namorado ator Greg — o próximo Colin Farrell — finalmente irá pedi-la em casamento. Conor admira a linda Jess. Mas depois de sete anos e gêmeos, ela ainda não se casará com ele. Ele passa os dias ensinando adolescentes terríveis e as noites escrevendo o livro que espera que mude tudo — inclusive a mente dela. Mas está difícil de alcançar finais felizes…

Preciso admitir aqui pra vocês que nunca tive um grande interesse em Postais do coração, motivo pelo qual o livro ficou parado na minha estante por uns dois anos. Porém, quando comecei a ler, notei uma similaridade na escrita com a Emily Giffin. É coincidência que elas tenham sobrenomes parecidos? Eu adoro esse tipo de leitura, que é uma mistura de comédia romântica com laços familiares, em que os personagens se desenvolvem e se redescobrem no decorrer da trama.

resenha do livro Postais do coração

Nesse livro de estreia da autora, que se passa em Dublin, conhecemos dois casais que tem muito e, ao mesmo tempo, nada em comum. Saffy Martin namora o ator de TV Greg Gleeson. Greg está em alta em sua carreira e é cobiçado por todas as mulheres, casadas ou solteiras. Porém, enquanto tudo o que Saffy quer é casar-se, Greg quer fugir dessa palavra, em nome de sua carreira.

Jess é mãe de gêmeos com Connor, que leciona em uma escola e está escrevendo seu primeiro romance. Enquanto Connor acredita em casamento, Jess não quer saber disso. Tudo estava andando nos trilhos para esses dois casais, até que vários acontecimentos começam a descarrilhar o dia a dia dos personagens. Será que ainda dá pra acreditar em finais felizes?

Esse tipo de história me encanta, vocês devem saber. Adoro ler sobre as vidas amorosas, profissionais e familiares de personagens comuns, que vivem com problemas semelhantes aos nossos. Além desses personagens que citei, a autora encaixa na trama o trabalho de Saffy, a história de seu pai, que abandonou a ela e sua mãe quando ela tinha apenas dois anos e vários detalhes da vida dos outros personagens.

resenha do livro Postais do coração

O que me encantou na narrativa de Ella Griffin foram os diálogos inacabados. Aí vocês perguntam: COMO ASSIM?! Explico: muitas vezes a autora deixou um diálogo entre um casal inacabado ao iniciar o próximo capítulo e, em uma conversa com outro personagem, a pessoa conta como aquele diálogo terminou. Confuso? É uma forma de entender os acontecimentos, e deu super certo nessa história, revelando tudo somente no momento certo. Não sei se isso ficou muito claro, mas o que quero dizer é: a autora soube levar muito bem as surpresas na hora certa ao leitor.

Menos é mais: Ella Griffin soube a hora de manter o suspense e a hora de prolongar cenas (que no começo parece enrolação, mas todos os personagens de alguma forma se encontram nesses vaivéns, o que deu sentido à história). Porém, com isso, ficaram algumas coisas em aberto mesmo. Dá pra imaginar o que acontece pelo contexto, mas eu queria um final mais definitivo. Mesmo assim, fiquei muito satisfeita com a forma como tudo terminou.

Ri alto muitas vezes, senti raiva de alguns personagens e viajei em uma história complexa, mas ao mesmo tempo simples. Se você gosta do estilo de Emily Giffin, aposto que também vai gostar de Ella Griffin em Postais do coração.

POSTS RELACIONADOS

8 comentários

  1. Responder

    Jessica M

    março 17, 2015

    OMG ‘Jess’ é mãe de gêmeos [ugh] Por que isso?! kkkk
    Nunca tinha visto esse livro, mas gosto de histórias desse tipo, me interessei por esse!
    Beijos!

    • Responder

      Gabi Orlandin

      março 17, 2015

      HAHAHA! E os gêmeos são uns capetinhas! [smile]

  2. Responder

    Bárbara Carollo

    março 18, 2015

    Oi Gabi!!
    A capa desse livro é linda e já remete a relações familiares. Fiquei curiosa por conhecer a escrita dessa autora e saber qual foi o resultado desses diálogos inacabados rs.
    Já vou adicioná-lo em minha lista!! Obrigada pela dica, mais uma vez 🙂
    Beijos,

    Ps. Achei a capa desse livro semelhante a de Querida Sue! Estou louca para ler esse livro também.

    versosenotas.blogspot.com.br

    • Responder

      Gabi Orlandin

      março 20, 2015

      Espero que você goste da leitura, Bárbara! Depois me conta 😉
      Fui olhar a capa de Querida Sue, e acho que as cores te fazem lembrar um do outro. Os dois tem esse tom de areia na parte de cima e meio azulado embaixo. Mas lembra sim 😀
      Beijos.

  3. Responder

    Poly

    março 20, 2015

    Eu li esse livro assim que recebi e me decepcionei. Esperava algo mais parecido com a Emily, mais envolvente. A história não me cativou tanto. Acho que esperava mais relação entre título-capa-história. Não foi um livro que me prendeu tanto assim e por isso não gostei.
    Hoje eu acho que gostaria de ter deixado esse livro parado na estante para ler depois rsrs
    Mas que bom que diferente de mim você gostou. Eu gosto de finais abertos, aprendi a gostar com a Graciela Mayrink :p
    Bjuxxxx

    • Responder

      Gabi Orlandin

      março 20, 2015

      Pode ser que não tenha sido o momento certo de ler mesmo, Poly. De qualquer forma, vi mais pessoas que se decepcionaram. Talvez eu tenha gostado por ter iniciado a leitura sem grandes expectativas.
      Graciela é uma das minhas próximas leituras, com “Até eu te encontrar”. Ouvi falar super bem dele, espero gostar.
      Beijos.

  4. Responder

    Fernanda Luz

    março 21, 2015

    Sou suspeita para falar de Emily Giffin pois adoro os livros da autora. Este ainda não li mas ele segue a temática que ela costuma abordar, histórias simples que conquistam e que pode acontecer com pessoas… assim, comuns. Esse livro inclusive preciso colocar na lista de desejados.

    • Responder

      Gabi Orlandin

      março 22, 2015

      Também adoro Emily Griffin, Fer, e a Ella Griffin entrou no rol dos que mais gosto também por causa desse livro. Espero que quando ler, curta tanto quanto eu! 😀
      Beijos.

ESCREVA UM COMENTÁRIO