E L James – Cinquenta Tons de Cinza

resenha do livro Cinquenta Tons de Cinza

Cinquenta tons de cinza
Trilogia, volume 1
E L James
Editora Intrínseca, 2012
480 páginas

Quando Anastasia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja – mas em seus próprios termos.

Chocada e ao mesmo tempo seduzida pelas estranhas preferências de Grey, Ana hesita. Por trás da fachada de sucesso – os negócios multinacionais, a vasta fortuna, a amada família -, Grey é um homem atormentado por demônios do passado e consumido pela necessidade de controle. Quando eles embarcam num apaixonado e sensual caso de amor, Ana não só descobre mais sobre seus próprios desejos, como também sobre os segredos obscuros que Grey tenta manter escondidos…

Para quem não sabe, “Cinquenta Tons de Cinza” nasceu de uma fanfic inspirada em Crepúsculo, isto é, vocês sabem como a Bella é leeenta, então Anastacia não é muito diferente – e consegue ser mais chata que a personagem de Stephenie Meyer. A moça tem 21 anos, é virgem, e só beijou, tipo, uns dois caras na vida. Mas quando conhece Christian bilionário-sexy-misterioso Grey, ela sente-se atraída pelo poder que ele exerce sobre ela.

A história não tem nada demais, é bem simples, e o que a torna diferente de qualquer outra é, justamente, o sexo. Christian é um homem muito enigmático, que não quer compromisso e só quer fazer sexo com as mulheres que assinam um contrato horroroso, concordando serem suas submissas. Preciso dizer que teve algumas partes da narrativa que quase me tiraram a vontade de continuar lendo, porque as palavras são chulas, descrevendo coisas que, para mim, foram nojentas. Claro, é um livro erótico, precisava ter aqueles detalhes, mas a autora podia ter pegado mais leve, principalmente nos muitos palavrões (demais, demaaaais!), e nas expressões repetitivas e desnecessárias.

Ana não quer só sexo com Grey, porque ela se apaixona por ele, ao passo que ele quer apenas isso dela – inicialmente. Ele está acostumado com mulheres que são inteiramente submissas dele, fazendo tudo o que ele diz, sem contestar. Ana não é uma submissa, e não aceita ser uma, contrariando Grey em quase tudo. E, ao mesmo tempo em que isso o irrita, o deixa excitado, pois ninguém o tinha desafiado antes. Será que Grey conseguiria amar de verdade uma mulher? Ou será que ele não tem coração para isso?

Não concordo com todas as coisas más que ouvi em vídeos ou li em resenhas a respeito do livro. Chegaram a dizer que este é o pior livro já escrito, que Ana só faz sexo porque recebe um monte de presentes caros de Grey e coisas do tipo. Isso não tem nada a ver, tanto que Ana não gosta quando Grey a presenteia, e só aceita como uma espécie de “empréstimo“. Então, pessoas, se vocês não gostaram do livro, entendam que outras talvez possam gostar, e não escandalizem isso, fazendo com que suas palavras se tornem regra geral para todo mundo.

Acho que, no fim, o que o salvou foi o final, quando Ana abre os olhos e começa a enxergar melhor as coisas, então, acho que valeu a pena ter lido, porque as últimas páginas nos deixam sedentos pela continuação. Não vou recomendar, porque acho que essa é uma leitura muito específica, e precisa ser lida por quem não tem preconceitos. Eu li porque queria tirar minhas próprias conclusões, então, se você tiver mais de 18 anos, sinta-se à vontade de fazer o mesmo, mas não se empolgue muito.

Em breve resenharei os próximos dois volumes, para quem ficar interessado 😉

POSTS RELACIONADOS

41 comentários

  1. Responder

    Arine-san

    24/12/2012

    Amei a resenha! Haha
    Bem verdade, apesar de não ter 18 anos, leio alguns livros com teor erótico…. Mas todos comentam que 50 tons de cinza é o cúmulo de qualquer baixaria 😮 Por isso, não me arrisco muito a ler, haha. Sem contar que não sou nem um pouco fã de Bella (ô personagenzinha sem sal ;x) e não estou afim de enfrentar mais uma lerda daquela na minha vida de leitora, hahaha.

    Bjs!!
    Amei de verdade a resenha!

  2. Responder

    Axwell Godoi

    24/12/2012

    Oi, Gabi!
    Bom, me recuso a ler esse livro. De todas as formas, eu achei muito desrespeitoso com a imagem da mulher, é denegrida totalmente – Objeto Sexual. O pior, não sei se é o pior, é que o mesmo virou epidemia, TODO lado que olho, tem alguém lendo 50tdc. Todos os meus argumentos não é por preconceito (juro). Por mais que você tenha achado que o final valeu a pena, não me interessei. Não pela história e tal, mas sim pelo gênero que não faz meu estilo. Gostei bastante da sinceridade em sua resenha.
    Beijos
    http://www.ascronicasdezazuleigo.com/

  3. Responder

    alice

    24/12/2012

    se tem uma coisa q eu nao gosto é gente q nao curte o assunto e antes mesmo de ler sai falando besteia por ai
    apesar de nao estar curtindo tanto minha primeira leitura eu nao to falando mall do livro por ai

  4. Responder

    Biia Rodrigues

    24/12/2012

    Olá Gabi.
    Sabe eu gostei desse livro, tipo: Ele é bom, mais só isso. Nada demais.
    Achei demais muita coisa que o povo falou, principalmente sobre ela só fazer sexo com ele por causa dos presentes.

    Beijos ;*

  5. Responder

    May

    24/12/2012

    Eu li os da Bella Andre e gostei. Achei o primeiro livro ótimo, justamente por não ter tantas palavras chulas, já o segundo livro teve demais, o que me incomodou um pouco, assim como você com 50 tons. Ainda não li essa trilogia, não a tenho aqui, e não vai ser agora que eu vou comprar, rs.. Vou dar um tempo pro povo esquecer um pouco, haha!

    Beijinhos,
    May :*

  6. Responder

    Cami

    24/12/2012

    Eu li Cinquenta Tons de Cinza, e achei um livro realmente muito mal escrito. Não sei se o pior, mas um dos piores com certeza é, pelo menos na minha (humilde) opinião. Primeiro que não faz sentido a Anastasia, visto que ela não tinha experiências sexuais anteriores, ficar excitada com as fantasias de Grey de cara. Acredito que fantasias as pessoas desenvolvem depois de terem uma vida sexual ativa. Por isso que muita gente achou bizarro, é tudo meio “jogado” no livro, numa tentativa desesperadora de tentar deixar excitante as coisas. Enfim. Sou meio hater de Cinquenta Tons, mas respeito quem gosta (:

  7. Responder

    Karine

    24/12/2012

    Bom, é fato que, depois de tantas críticas e coisas ruins que falaram desse livro, criar um certo receio ao lê-lo é normal… pelo menos para mim foi. Talvez isso não seja uma coisa boa, pois como você disse em sua resposta ao meu comentário no post anterior, o gosto vai de cada um, então não podemos nos basear somente na opinião dos outros e deixar por isso mesmo. Com sua resenha, parece que aliviou um pouco o peso que estava sobre o Cinquenta tons de cinza, pois você expressou o que realmente achou do livro, sem exagerar como algumas pessoas fazem por aí. De qualquer forma, não sei se essa narrativa me prenderia a atenção, mas sua resenha foi a única que li até agora que me deu uma visão mais aberta do livro, mostrando que ele não é “tããão assim”, a ponto de ser tachado como sendo o pior livro do mundo.

    Beijos Gabi [happy]

  8. Responder

    Claris Ribeiro

    24/12/2012

    Acho que eu peguei tanto mau gosto desse livro justamente porque TODO MUNDO comentava muito bem dele e foi a maior decepção! Achei a escrita muito fraca, muito sem história (repete a mesma coisa do contrato um milhão de vezes), e muita coisa do livro não faz sentido. Ana é uma garota de 21 anos que beijou dois caras na vida, mas faz coisas na cama como ninguém, fora que só de encostar nela, ela já tem orgasmos múltiplos… me senti uma otária sendo enganada enquanto lia os dois livros da trilogia. Decepção resume. [dead]

  9. Responder

    Juh Claro

    24/12/2012

    Acho que meu problema foi ter comprado em inglês, me arrependi totalmente. Não consigo ler, to achando boooooring demais. Tem gente falando que é ruim porque era uma fanfic – desculpa, no meu site tem ÓTIMAS fanfics que passam longe de serem ruins, mesmo se virassem livro.
    Enfim, ainda vou tentar ler porque não vou largar três livros na estante sem tentar mais uma vez, mas adorei sua resenha, uma das poucas que li que foi sincera haha de verdade.

    Beijos!

  10. Responder

    Lucas Maia

    24/12/2012

    Oi Gabi,
    terminei que ler o primeiro livro, esse ai, essa semana. E não é o meu tipo de livro, também, apesar que já ter livros que trazem descrições do sexo, como os da Hannah Howell, Série Wherlocke, mas não me atrai muito, acho que acaba perdendo um melhor desenvolvimento da história.

    Não sabia que foi inspirado em crepúsculo e bem que achei meio parecido no começo com a história de se sentir atraída pelo cara bonito e sexy e esse dizer que é errado.

    E não concordo com o que dizem que a Anastasia fazia sexo pelos presentes, como até ela mesmo pensa que isso é coisa de prostituta. E acho que concordo contigo em tudo mesmo que você falou na resenha. Vou ler os restantes próximo ano e ver como vai ser o desenrolar.

    Feliz natal e um ótimo 2013 pra ti!
    Beijosss

    • Responder

      Fluffy - Gabriela

      24/12/2012

      Comprei os livros da Hannah Howell por sua indicação, Lucas! Tenho certeza que vou adorar! 😉
      Obrigada pelos comentários, pela presença e por todo o carinho aqui no blog esse ano. Espero te ver muito por aqui em 2013 – e juro que vou tentar te visitar mais também! 😀
      Beijos.

      • Responder

        Lucas Maia

        24/12/2012

        Sério?! Depois me diga o que achou.
        Só retribuindo esse carinho todo que você tem com os leitores e acabei nem falando de ti no post, mas você foi uma das pessoas que conheci e tenho um carinho enorme. Vamos nos visitar mais em 2013, também prometo o mesmo! =}

  11. Responder

    Luciana Fonseca

    24/12/2012

    Sua resenha ficou otima, adoro o jeito que você coloca elas bem explicitas e ao mesmo tendo dando sua opinião que eu acho um ponto muito bom porque a gente sempre quer saber a opinião de quem já leu … Sobre o livro eu já li os três e gostei sim, fala muito de sexo só que atraz disso tem uma historia que eu achei bacana e diferente daquelas de romances normalzinho … É uma leitura diferente 🙂

    Beijos :*

  12. Responder

    Nanda

    24/12/2012

    Oooi 🙂
    Li sua resenha já com medo de ser só os xingamentos que via por aí contra o livro, hahaa. Que bom que você foi diferente! Eu tentei ler, juro, ainda espero tentar de novo, mas não tão em breve… Mas exatamente por causa da linguagem, das repetições, eu enjoei, ainda mais porque estava lendo pelo pc, o que já não estava ajudando muito. Tenho uma amiga que adorou a história e tudo mais e em compensação tem milhares de pessoas por aí dizendo que odiaram, eu ainda quero tirar minhas conclusões, mas não agora,rs. Bom saber que pelo menos o livro termina melhor… Isso dá alguma animação, kkkkkk.

    Beijos, Nanda

  13. Responder

    Ludmila

    24/12/2012

    Oi Gabi,
    Eu li primeiro quando era fanfic e depois li os três livros. E eu ADORO!!!
    Vou deixar aqui um texto da Carol Patrocínio, que é exatamente o que penso sobre a trilogia Cinquenta Tons de Cinza.

    “Sadomasoquismo em “50 Tons de Cinza” – o livro me ganhou com sua leitura fácil e conto de fadas.
    Sim, conto de fadas. A história nada mais é do que uma garota insegura que conhece um cara incrível que se apaixona por ela. Com essa paixão ela consegue se entender, conhecer e aceitar melhor, o que a torna segura e ainda mais atraente para ela mesma, pra ele e para o mundo.
    É claro que na internet rolam milhões de gracinhas sobre o enredo, querendo dizer que a garota se apaixona porque o cara é rico — o que não faz o mínimo sentido, já que o livro foi baseado na trilogia de Crepúsculo, que relata uma história de amor entre vampiro e humana e o pano de fundo é, como sempre nas histórias de vampiro, uma metáfora sobre virgindade.
    E aí quando você vai lendo os outros livros nota que é apenas amor. Ela não quer a grana, a fama, o sexo violento e incrível — apesar de aceitá-lo numa boa, como qualquer uma faria -, ela quer mesmo é o amor, é se sentir amada, querida, indispensável.
    E não é isso o que a gente mais quer quando se apaixona? A gente quer sentir que a outra pessoa sente o mesmo, que compartilha nossos planos e sonhos, que estará ao nosso lado não importa o que aconteça. E, é claro, a gente também quer sexo. O bom e velho sexo.
    Um trecho da obra que comprova o que estou dizendo é esse, em Anastasia, no meio da transa, pensa assim: “É tão erótico – a necessidade que ele tem de mim”. Entendeu? É muito mais sobre amor do que sobre sexo.
    E é por ser sobre amor que ganhou tantas pessoas. É claro que o sexo ajuda, mas ele é parte do amor, por que não deveria estar presente? O sadomasoquismo, bondage e afins nem é tão forte, é tudo coisa que os casais podem fazer em casa e as ideias são ótimas para apimentar o relacionamento”.

    É isso ai, faço minhas as palavras da Carol Patrocínio!
    Beijos Gabi!

    • Responder

      Fluffy - Gabriela

      24/12/2012

      Oi Ludmila!
      A Carol colocou em palavras tudo o que eu vi da Ana também! Apesar de eu ter achado que algumas coisas foram demais, como disse na resenha, super concordo com o que ela disse; a Ana sente-se aceita e linda perto do Grey, e ela quer o amor dele, em primeiro lugar. Acredito que os outros dois livros abordem mais essa questão, já que parece que o Grey está mudando por estar apaixonado por ela também (mesmo que nunca admita isso!).

      Queria aproveitar e te agradecer por todo o carinho aqui no blog nesse ano, e espero que você continue me visitando em 2013. Você é uma das maiores e melhores leitoras aqui do blog, tenho um carinho imenso por você 🙂 Obrigada, obrigada!
      Um beijo, um lindo natal e um feliz ano novo pra você.

      • Responder

        Ludmila

        25/12/2012

        Gabi linda!
        Com toda certeza continuarei vindo aqui em 2013, adoro seu trabalho e o blog!
        A gente vê que é feito com um carinho imenso.
        Obrigada pelas suas palavras!
        Espero que seu Natal tenha sido cheio de bons momentos, muita paz, amor e harmonia.
        E que 2013 seja próspero, cheio de saúde, realizações e muitos livros! o/
        Beijos

  14. Responder

    Matheusp-p

    24/12/2012

    Nossa que lindo,não tinha lido ele ainda rs.Amei a resenha,vou comprar,certeza!

  15. Responder

    Kelly Barros

    24/12/2012

    Oi Gabi, eu já li a trilogia, e acho embora tenha gostado, achei que o livro 1 tinha uma escrita péssima. Palavras chulas demais! Também me sentia enojada, mas me envolvi graças ao mistério que ronda o lindo-espetacular-sensacional-Grey. Não sei se você já leu os outros dois livros, mas posso dizer que a escrita da E. L. James melhora. Eu ia escrever aqui o que eu achei sobre o segundo e o terceiro, mas fiquei com medo de falar mais do que você queria saber, então vou esperar sair as outras resenhas pra me expressar. Eu fiquei chateada com o tamanho da repercussão desse livro, acredito que melhor que autora, a E.L. James é uma ótima marketeira, isso sim. Já li livros eróticos bem melhores e que nunca ganharam tal destaque. Mas fiquei mais chateada ainda com o fato que se formaram 2 grupos – os que odeiam e o que amam – os que odeiam falam de um jeito como “se você gosta desse livro você é uma burra, rídicula, mal amada” e eu não acho que seja assim. As pessoas são muito extremistas, é só um livro galera! Relaxem! Dá vontade de falar isso. Existem outros livros ruins e bons por ai. Sinceramente, ainda não entendi porque esse livro fez tal estardalhaço, ele nem é tudo isso. Embora o Grey, seja O cara… ah sei lá. Talvez um dia eu entenda.
    Ah, tô sentindo falta daquele widget ali do lado com os top comentaristas [smile]

    • Responder

      Fluffy - Gabriela

      25/12/2012

      Oi Kelly! Não, ainda não li os outros dois, então nem um pio! rsrs.
      Fiquei feliz em saber que a escrita dela melhora, isso me deixa mais animada. E também não entendo porque se formaram esses dois grupos tão extremistas, como você mesma disse, já que é só um livro, e as pessoas podem tanto gostar quanto odiar. Ouvi uns caras bem conhecidos da TV falando super mal, esculachando quem leu. Não é bem assim, respeito é bom e todo mundo gosta, poxa! Acho que esse estardalhaço todo foi o fato de o livro tratar sobre sexo e mesmo assim ser muito divulgado.
      Beijos, flor 🙂

  16. Responder

    Máh

    25/12/2012

    Oie, Gabi =)
    querida estou com esse livro aqui para ler, ainda não fiz isso pelo fato de está sendo uma febre não gosto de ler por ser moda, mas porque quero ler, e ainda não tive vontade.
    Li várias resenhas, gostei muito da tua e tua opinião e mesmo sem ter lido o livro concordo com você, não gosto muito de livros com muitos palavrões …
    e não que não goste de livro hot, pelo contrário já li e leio vários, gosto, porém vou dizer que os que li não tinha palavrões ou palavras chulas, as escritoras procuraram ter um cuidado com isso…
    enfim, um dia irei ler esse ai e ver oque acho.
    beliscões carinhosos da Máh

  17. Responder

    Babi Lorentz

    25/12/2012

    Oi, Gabi!
    Eu devo e vou descordar de você, mas apenas porque eu gosto dessas palavras mais chulas e curto esse tipo um pouco mais… violento. Apesar de gostar do bom baunilha também.
    Acho que Cinquenta Tons de Cinza abriu o mercado pros outros livros eróticos que começaram a chegar e acho isso o máximo porque é um tipo de leitura que, querendo ou não, faz com que os Brasileiros leiam mais que apenas um livro por ano.
    Já que você vai continuar com a leitura, posso te adiantar que acho que o que você vai gostar mais, pelo que li na sua resenha, é o segundo. Não vou te explicar o motivo, mas depois quero que me diga.
    Beijos!

  18. Responder

    Isadora Ferreira

    25/12/2012

    Oi Gabriela, amei a resenha (como sempre)!
    Eu ainda não tive tempo de ler Cinquenta Tons de Cinza. Apesar de ter menos de 18 anos, não me incomodo em ler livros com teor erótico, e meus pais levam isso numa boa, então não tem problema.
    Tenho o primeiro livro da trilogia da E L James aqui em casa, que minha mãe comprou achando que era um romance estilo Nicholas Sparks. Que engano o dela…!
    A verdade é que mesmo com o livro bem ali, pertinho da minha estante, não tenho vontade nenhuma de ler. Minha mãe, que leu o livro e odiou, disse que a história é meio desinteressante e sem conteúdo, com muita enfase na questão erótica, mas não na parte de “fazer AMOR” e sim na parte mais fútil do ato sexual, fazer só por fazer e com muita violência. Não sei se é meu estilo de livro justamente porque sou um pouquinho (ok, muito!) feminista e odeio quando mulheres ficam em posições submissas aos homens (o que ocorre no caso da Anna e do Grey). Uma questão que me assusta, na verdade, não é a quantidade de violência e sacanagem na hora do ato sexual descrito no livro, mas sim, a quantidade de mulheres que se derretem todaaaaaaa pelo Grey. Desculpe se falo algo errado, pois não li o livro, mas pelo o que me contaram, o cara é um sadomasoquista com sérios problemas psicológicos; não entendo como mulheres gostariam de ter um desse em casa ou como gostariam de buscar prazer dessa forma tão sórdida com requintes de crueldade.
    Beijos

    • Responder

      Fluffy - Gabriela

      25/12/2012

      Oi Isa!
      Concordo com tudo o que você disse, mas eu acrescento que eu acho que as mulheres se derretem tanto pelo Grey porque ele é um tipo de “fantasia” que todas elas gostariam de ter – não digo na parte da violência sexual, mas no de fazê-las sentir prazer. E o cara parece ter um coração por baixo de toda aquela frieza. Dizem que os próximos são melhores, então veremos… rsrs.
      Beijos!

  19. Responder

    igor tihago

    25/12/2012

    me disseram que esse livro é de mulherzinha, acho que não vou ler então. Bua!

  20. Responder

    Karol Vieira

    25/12/2012

    Digo uma coisa: se neguinho decidir ler ou não só por causa dos outros, vai ficar bem confuso. Existem dois grupos tão extremistas em relação a esse livro que chega cansa.

    Pra mim, foi uma boa leitura. Eu estava num ritmo intenso na faculdade, muita coisa pra fazer e a leitura foi simplesmente tranquila, despretensiosa. Algumas coisas me incomodaram muito como, por exemplo, as repetições excessivas, o palavreado chulo e o nível da escrita, mas nada que não tenha sido fácil superar. (nem tão fácil assim! rs)
    [http://compartilharei-me.blogspot.com.br/2012/10/falando-sobre-livros-1-cinquenta-tons.html]

    Terminei ontem de ler o segundo e gostei mais. Tem mais história, dá mais vontade de ler. Voltei a me cansar com as repetições chatas, me agoniei um pouco com a noção de tempo que passei a ter agora da história, mas nada anormal pro mundo da ficção ou pro mundo dos zitribilionários! kkkk

    Boa resenha, Gabi. E, pra terminar, concordo demais com suas opiniões. – Não gostou? Ok, não recomenda e ponto. – Mas a galera insiste em falar muito mal do que não gosta como se sua opinião fosse a verdade absoluta. Enfim, a gente vai relevando. 😛

    Beijos, flor ;*
    Tenha bons dias!

  21. Responder

    Beatriz

    26/12/2012

    Nossa, a primeira resenha condizente que leio sobre esse livro! Confesso que não li direito, baixei a versão em PDF e lia pulando partes, só porque queria saber sobre o que é que se tratava. Não gostei, mas muito porque não gosto de livros onde o enfoque é a vida amorosa de um casal (com ou sem sexo), e não pelo erotismo em si. Mas teve uma coisa em específico que me irritou muito, mas também me fez rir: o negócio da deusa fazendo bico porque ficou sem sorvete. Cara, que tipo de expressão é essa? ASHUASHUASHU

    • Responder

      Fluffy - Gabriela

      26/12/2012

      Essa coisa de repetir toda vez que a deusa interior isso, a deusa interior aquilo IRRITAVA demais mesmo! Nem comentei isso na resenha porque quem não leu não ia entender. Mas poxa! >.<

  22. Responder

    Vanessa Grandin

    26/12/2012

    Gostei muito da sua resenha……de todas que eu já li a sua foi a que mais respeitou o livro, a história e a autora…….você relatou o que considerou negativo mas não massacrou a obra como muitos fazem por aí…
    Acho importante a opinião das pessoas mas tentando respeitar quem gostou do livro , como vc fez aqui!
    Eu ainda não li mas pretendo lê-lo e tirar minhas conclusões…..

  23. Responder

    Beatriz

    27/12/2012

    Apesar de ter 18 anos eu não tenho vontade de ler e também não faz meu tipo de leitura. Gosto de romances mais leves e li uma vez só um livro que tinha coisas eróticas no meio “amor fora de hora” que foi o pior livro que eu já li rs e não era nada muito pesado mas eu achei tão chato e nojento em outras partes. E acho que Cinquenta tons de cinza tem muito dessa coisa erótica e pesada. Gostei muito da resenha a maioria das resenhas que eu vi eram falando que o livro era horrível e a sua foi positiva e teve o cuidado de não recomendar e falar o motivo. E também achei legal você falar sobre a idade. ^^

  24. Responder

    Raíssa Lins

    31/12/2012

    Não tenho muita “frescura” com livros que tenham cenas de sexo nem nada, mas não pretendo realmente ler 50 tons de Cinza. Acho que meu maior problema com o livro é o fato dele ter sido, inicialmente, uma fanfic de Crepúsculo. Não sou hater, mas tentei ler a série e não consegui gostar de jeito nenhum, principalmente por causa da personalidade (as vezes ausência dela) de alguns personagens e acho que 50 tons adaptou bem isso, né? Outra coisa que também não entendo é o tamanho estardalhaço feito em volta desse livro especificamente, afinal, existem outros tantos outros livros eróticos no mercado e não vi nada de especial nesse.

  25. Responder

    Maris

    08/01/2013

    Cara, to com uma mania de ler os posts dos blogs e nao comentar 🙁 Por isso to tirando o atraso dos comentários hahaha.

    Primeiramente, amei a resenha, acho que você disse tudo o que eu penso. E quero muito ler a sua resenha dos outros livros!

    Beeijos,

    Maris!

  26. Responder

    Fernanda Cabral

    10/01/2013

    Adorei sua resenha, acho o mesmo. O livro não é tão bom assim, mas também não é o que dizem e realmente o final salvou. Como você fiquei curiosa, mas apenas isso.
    Ah e parabéns, seu blog é lindo!

  27. Responder

    monique carvalho

    22/01/2013

    muuuuuitas pessoas que conheço leram essa livro e me falaram que é muuito hot e muito bom, pela resenha parece ser mesmo kkk k

    parabens pela resenha

  28. Responder

    Emili Ribeiro

    30/01/2013

    Primeira resenha que leio e gosto, sério. Concordo com pareticamente tudo que escreveu, principalmente quando diz que é uma leitura para quem não tem preconceitos. Só ‘discordei’ quando diz que tem muito palavrões e palavras chulas de mais, ter até tem, mas tem tanto³ assim como disse? não tinha percebido.
    Essa resenha me conquistou 🙂

    • Responder

      Fluffy - Gabriela

      30/01/2013

      Oi Emili!
      Como eu nunca li outro livro com tema parecido nem que tivesse palavrões, fiquei com a sensação de que este tem muitos, hehe. Que bom que gostou da resenha, fico feliz 🙂
      Beijos.

  29. Responder

    Tacila Porto

    06/02/2013

    Oie, eu li o livro por curiosidade, até fiz uma resenha dele no meu blog. Eu gostei, não porque sou uma pervertida (rsrs), mas pela história em geral.
    Eu gostei da trilogia, mas não tanto de Ana, já Grey, ele é apaixonante.
    Beijos *-*

  30. Responder

    Fernanda Reus

    21/02/2013

    Eu li trilogia e achei muito mal escrito. Mas se algum mérito o livro tem, é que ele desperta a curiosidade pelo que vai acontecer nos próximos volumes. Achei fraco, mas não julgo quem goste. Afinal, gosto é gosto e não se discute!

    Beijos

  31. Responder

    Brenda

    10/05/2013

    Adoooorei Seeus Comentários , eu já estava interessada em ler , Agoora que Tõ meesmo . 🙂

  32. Responder

    Florence

    25/09/2015

    Esse foi o pior livro que li em toda a minha vida!
    Mas se você não achou o mesmo, não tem nada de mais.

    • Responder

      Gabi Orlandin

      25/09/2015

      É isso aí, Florence. Cada um com sua opinião. 😉
      Obrigada pelo comentário.

ESCREVA UM COMENTÁRIO