Mauricio Gomyde – Dias melhores pra sempre

resenha do livro dias melhores pra sempre

Dias melhores pra sempre
Mauricio Gomyde
Editora Porto 71, 2013
230 páginas

Bruno dizia que um dos grandes desafios da vida é conseguir provar que as teorias estão erradas.

Quando seu grande amor deixa de reconhecê-lo, ele precisa se transformar como nunca para tentar reconquistá-lo. Conseguirá ele contradizer o destino e provar que é possível colocar por terra tudo o que afirmavam?

Superação e retribuição em mais este incrível romance de Maurício Gomyde, onde tudo o que já se imaginou sobre o amor será levado ao limite da mais doce loucura.

Em seu quarto romance, intitulado “Dias melhores pra sempre”, Mauricio Gomyde me surpreendeu mais uma vez. Com uma escrita cada vez melhor e característica do autor, a leitura deste livro flui com uma naturalidade surpreendente, e conta uma história de superação e desafios que merece ser lida.

Dias melhores pra sempre” não é apenas um romance. Não posso revelar nenhum detalhe, pois creio que tudo o que eu disser estragará a magia e a beleza da surpresa dessa obra, mas tentarei resumir de forma bem simplificada: Bruno e seus três amigos – que compõem um grupo que eles chamam de “Famiglia” – estão no último ano da faculdade Medicina, e tudo é alegria: sempre encontrando motivos para se comemorarem a simples companhia um do outro, eles compõem um grupo forte e completo. Porém, eles não imaginam o que o destino reservou para o futuro: cada um, com sua própria história, desejos e conquistas, terá um – ou mais – desafios grandes pela frente. Não vai ser fácil, mas a vida os ensinará a melhor forma de transpor esses muros, com a ajuda de pessoas especiais e inesperadas que o futuro coloca em seus caminhos.

“– Será que nós dois somos normais? – perguntei.
– Acho que não. Enquanto o mundo corre veloz ali por trás das colinas, estamos aqui, parados no tempo e conversando sobre Van Gogh e sua noite estrelada.
– Se Van Gogh era louco, bendita seja a loucura!”
Página 114

Senti que a escrita do autor amadureceu muito nesta quarta nova história e, mais do que nunca, os personagens têm suas vidas entrelaçadas com acontecimentos que ninguém pode prever. Desta vez, o livro tem um aprofundamento maior, tem uma história muito melhor embasada e transmite uma mensagem muito, muito bonita. Mas, acima de tudo, a personalidade de Maurício nas frases, parágrafos e capítulos permanece, nos fazendo chorar, nos fazendo rir…

O livro tem dois pontos negativos. Um: achei que poderia ser melhor desenvolvido. Alguns acontecimentos passaram depressa demais, na minha humilde opinião, e eles foram tão importantes para a trama que poderiam ser melhor abordados. Dois: a sinopse não tem muito a ver com a história, e eu recebi do livro muito mais do que esperei. Isso não seria um ponto negativo, uma vez que o livro me surpreendeu, mas creio que, de novo, na minha humilde opinião, uma leitura tão boa e bem escrita mereceria uma chamada maior e que, de certa forma, faça mais jus ao que o livro se propõe (na verdade, eu mesma não consigo imaginar sinopse para este livro, em que tudo é simplesmente inesperado! Mas vale comentar…)

Mas não é por isso que vou deixar de indicar o livro, muito pelo contrário: é uma história simples, mas incrivelmente surpreendente, que ficará para sempre na memória de quem a lê. Lembro-me de uma frase de Antoine de Saint-Exupéry, autor de “O Pequeno Príncipe”, sempre que penso nesta história: “Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos”. Leiam este livro! É só o que tenho a lhes dizer. *-*

POSTS RELACIONADOS

10 comentários

  1. Responder

    Cynthya Marangon

    janeiro 28, 2014

    Sempre tive vontade de ler algum livro do Maurício Gomyde, ele parece ser um escritor e tanto. A história parece diferente do que costumo ler, vou colocá-lo na minha wishlist.
    Beijos, Cyn.
    http://ograndetalvez.blogspot.com.br/

  2. Responder

    Fabiana Strehlow

    janeiro 28, 2014

    Que show!
    Me identifiquei e preciso ler!
    Já acrescentei aos meus livros para aquisição!
    E que capa linda!

    Beijos!

  3. Responder

    Divana

    janeiro 28, 2014

    Eu ainda não conhecia nada do Maurício Gomyde e a sua resenha me abriu uma certa curiosidade a respeito das histórias dele.
    Vou ver se consigo ler alguma coisa e passo aqui pra trocar figurinhas com você, [smile]
    Até mais e uma ótima semana.

  4. Responder

    Carolina

    janeiro 28, 2014

    Há algum tempo eu li outra resenha de um livro do Mauricio e desde então fiquei com vontade de conhecer o autor. Depois de ler sua resenha, acho que esse seria um bom livro pra começar e conhecer o autor.

    Beijão

  5. Responder

    Camila

    janeiro 28, 2014

    Nunca li nada do Mauricio Gomyde, mas só citando Van Gogh já está válido hahaha
    Parece muito joia mesmo 🙂

    Beijos!

  6. Responder

    Juliana

    janeiro 28, 2014

    Resenha apaixonante :}
    Deve ser uma delícia de ler!

    Beijos!

  7. Responder

    Michelle

    janeiro 29, 2014

    Ai, Gabi… comprei o meu no fim do ano passado, diretamente das mãos do Mauricio, mas ainda não li. Realmente, a sinopse não diz muita coisa, mas talvez seja melhor assim. Não gera expectativa, sabe? Em todo caso, quero ler logo.
    beijo

  8. Responder

    Karol Vieira

    janeiro 29, 2014

    Os livros de Gomyde tão na minha lista de desejos há um bom tempo, mas acho que esse vai tomar a frente dos outros. Parece lindo. E se é simples – já aprendi – vai me prender e tocar com maestria! [heart]

  9. Responder

    Mirelle Candeloro

    janeiro 29, 2014

    Oi Gabi, nunca li nada do autor, mas já ouvi comentários excelentes sobre as obras dele, o que me deixou curiosa. E que capa divina é essa? Adorei! Beijos, Mi

    http://www.recantodami.com

  10. Responder

    Amanda Almeida

    janeiro 29, 2014

    Oi Gabi, tudo bem?
    Ainda não tive a oportunidade de ler nada do autor, mas tenho muita vontade e espero conseguir ler algo dele em breve. A dica esta mais do que anotada.
    Abraços,
    Amanda Almeida
    Você é o que lê

ESCREVA UM COMENTÁRIO