Resenha do filme: Malévola

resenha do filme Malévola

Malévola
Atores principais: Angelina Jolie, Elle Fanning e Sharlto Copley
Gênero: Fantasia
Direção: Robert Stromberg
Duração: 1h37min
Lançamento: 29 de maio de 2014
País: Estados Unidos

Baseado no conto da Bela Adormecida, o filme conta a história de Malévola (Angelina Jolie), a protetora do reino dos Moors. Desde pequena, esta garota com chifres e asas mantém a paz entre dois reinos diferentes, até se apaixonar pelo garoto Stefan (Sharlto Copley). Os dois iniciam um romance, mas Stefan tem a ambição de se tornar líder do reino vizinho, e abandona Malévola para conquistar seus planos. A garota torna-se uma mulher vingativa e amarga, que decide amaldiçoar a filha recém-nascida de Stefan, Aurora (Elle Fanning). Aos poucos, no entanto, Malévola começa a desenvolver sentimentos de amizade em relação à jovem e pura Aurora.

E então, depois de quase um ano desde a estreia de Malévola nos cinemas, eu finalmente pude conferir o longa da Disney, estrelado por ninguém menos que Angelina Jolie. A história é uma versão um pouco diferente da Bela Adormecida que conhecemos, pois dessa vez a protagonista não é a princesa, e sim a Malévola, a feiticeira ou bruxa da história tradicional.

Existiam dois reinos: o dos humanos invejosos e gananciosos que desejavam ter todo o poder para si; e o reino dos Moors, um lugar encantador e cheio de criaturas mágicas que convivem em harmonia entre si. Uma dessas criaturas é Malévola, uma menina-fada com grandes asas, que protege o seu reino contra os humanos que querem lhes roubar tudo. Até o dia em que um menino chamado Stefan chega ao reino. Quando Malévola é chamada, ela trata de fazê-lo devolver a pedra que ele roubou e o leva até o caminho da saída, mas ele não se vai sem antes prometer voltar. Através dos anos, os dois, humano e fada, desenvolveram uma amizade verdadeira e um amor puro. Mas cada um traçou o seu caminho. Anos mais tarde, quando se reencontraram, Stefan não estava interessado em Malévola, e sim no poder de se tornar rei. Para isso, ele trairá sua fiel amiga de uma forma amarga e impiedosa, visando apenas a sua ganância. Malévola, ao perceber seu erro ao confiar naquele homem, torna-se uma mulher amarga. Quando Stefan tem a primeira filha, Aurora, Malévola amaldiçoa a criança, fazendo-a espetar o dedo e adormecer para sempre quando fizer 16 anos. Porém, a feiticeira não esperava se encantar tanto com a garota com o passar dos anos. Só que o feitiço é irreversível, e nem quem o criou consegue desfazê-lo.

resenha do filme Malévola

É muito notável a mudança de tons no filme: no começo, quando existia paz e Malévola ainda não tinha sido traída pelo seu melhor amigo, as cores são alegres e vibrantes – como um reino mágico deve ser. Depois da traição, as cores mudaram drasticamente para tons frios e sombrios de azul, preto e verde. Dá pra perceber nitidamente que é ali que o drama começa, e isso, pra mim, é maravilhoso. É separar a época feliz da época triste, é colocar o medo em quem está assistindo. No decorrer da história, as cores mudam aos poucos, dependendo do “humor” de Malévola e da cena que está se desenrolando na tela.

Ao contrário da história dos irmãos Grimm, essa versão explica por que a “bruxa má” se torna tão malvada, por que ela lança o feitiço e por que age movida pela raiva. Ela não é somente má; ela teve motivos para isso – motivos grandes e fortes. É verdade que ela se tornou uma pessoa vingativa, mas as circunstâncias a fizeram daquela forma, e algo dentro dela se voltou contra a raça e reino dos humanos de forma geral – que já vinham a atingindo desde criança.

A atuação de Angelina é espetacular – eu não precisava nem ter comentado isso –, e os outros atores são muito bons também. O rei Stefan tem cenas muito boas e fortes em seus dias de crise, e a pequena (e grande) Aurora é uma personagem incrível. Elle Fanning deu vida à Aurora de 15 a 16 anos, mas quando menor, outras meninas fizeram seu papel – inclusive, um deles foi da filha de Angelina, pois nenhuma outra criança conseguia chegar perto da atriz com seus chifres enormes sem ter medo e chorar.

Não sou uma crítica de cinema nem grande entendedora de detalhes técnicos, mas devo comentar que a fotografia e os efeitos visuais são excepcionais, pelo menos em meu ponto de vista amador. Eu me encantei em cada cena, com cada detalhe bem construído, principalmente com a floresta dos Moors antes da guerra entre seres místicos e humanos. Tudo tão colorido e fantasioso que eu tive vontade de pausar a cena para observar com mais calma toda aquela beleza.

Se você está procurando um filme pra assistir em um final de semana, talvez Malévola seja uma ótima opção. Uma mistura de fantasia, drama e aventura, o filme promete encantar os pequenos até os adultos. Na minha humilde e pessoal classificação, não merece menos do que cinco estrelas.

POSTS RELACIONADOS

14 comentários

  1. Responder

    Natasha Baptista

    14/05/2015

    Adoro resenha de filmes aqui [love]

    • Responder

      Gabi Orlandin

      19/05/2015

      YAY, que bom saber, Nat! 😀
      Vou tentar publicar mais resenhas de filmes.
      Beijão.

    • Responder

      jesse

      27/09/2017

      Belo resumo do texto gabi amei (Bay bay)

  2. Responder

    Raquel Leal

    14/05/2015

    Nossa Gabi, eu estou de queixo caído, não sabia o contexto do filme, jurava que era a mesma coisa da história tradicional, nem sabia que o foco era a Malévola, para falar a verdade é um filme que quero assistir, mas não estava com a minima pressa, mas gostei da sua resenha e acho que vou assistir em breve, volto pra contar se gostei.
    Beijinhos.

    • Responder

      Gabi Orlandin

      19/05/2015

      Volta sim, Raquel! Quero saber se você gostou tanto quanto eu! <3
      Beijos.

  3. Responder

    Amanda

    14/05/2015

    Aí Gabi, acredita que eu ainda não vi esse filme!? hahaha
    Mesmo querendo ver até agora não tinha parado para ler a historia. E parando agora pra analisar no clássico da Bela Adormecida a Malévola é má porquê sim, não é mostrado nenhum motivo para ela ser do jeito que é, e com esse filme as coisas começam a se encaixar, né?
    Preciso tirar um tempo para assistir! 🙂

    http://www.whatamandalikes.com/

    • Responder

      Gabi Orlandin

      19/05/2015

      Acredito sim, tem taaantos filmes que eu ainda não vi e que “TODO MUNDO” viu, hehehe!
      É exatamente isso, Amanda. A gente entende que a Malévola é má porque os outros a fizeram daquela forma. Depois volta aqui me contar se você gostou 😉
      Beijos.

  4. Responder

    Divana

    15/05/2015

    Eu perdi a conta de quantas vezes eu assisti esse filme Gabi.
    Na minha opinião é uma das melhores releituras de todos os tempos quando se fala de releitura de contos de fadas voltados pro “lado negro da força” (que nem é tão negro assim).
    E os cenários são incríveis! [heart]
    Abraços!

    • Responder

      Gabi Orlandin

      19/05/2015

      Sério, Di? hahaha!
      Concordo com você. A Malévola não é a bruxa má que é contado na história original, e os cenários são belíssimos.
      Beijos.

  5. Responder

    Dai Castro

    15/05/2015

    Oi Gabi! Esse post me reacendeu a vontade de assistir Malévola! Eu já tinha visto algumas artes conceituais do reino e das criaturas de moors e achei tudo realmente incrível! É um ótimo programa pro final de semana mesmo! Beijos!

    • Responder

      Gabi Orlandin

      19/05/2015

      Se você gostou das artes sobre o reino dos Moors, com certeza vai adorar os cenários lindíssimos do filme. Depois me conta o que achou, tá? 🙂
      Beijos.

  6. Responder

    maryanne

    10/06/2016

    demais copiei daqui e minha prof gostou [love] [love] [love] [love] [love] [love] [lol] [wink] [wink]

  7. Responder

    Elizangela Moraes

    28/11/2016

    Muito legal vc esta de parabens gostei muito 😀
    Espero que vc continue assim Parabens *-* *-* *-* *-* *-* *-*

  8. Responder

    THAIANIE PIRES

    02/01/2017

    Obrigada, procurei mt saber o que deixou ela ma.
    *-* Sempre vejo depois desse momento!!!

ESCREVA UM COMENTÁRIO