Deb Caletti – Meu amor, meu bem, meu querido

resenha do livro Meu amor, meu bem, meu querido

Meu amor, meu bem, meu querido
Deb Caletti
Editora Novo Conceito, 2013
240 páginas

Ruby McQueen nunca tivera problemas sendo boazinha, e sempre fez questão de ter um bom relacionamento com sua família, ir bem na escola e tomar boas decisões. Esse é o motivo do porquê ninguém fica mais surpreso do que ela mesma quando o mau caráter Travis Becker a suga para seu mundo de privilégios e ilegalidades, e ela o segue voluntariamente. No entanto, quando Ruby faz o impensável, começa uma louca aventura de várias gerações, conforme seus entes mais íntimos fazem de tudo para salvá-la dela mesma. Será que um verão pode mudar o que Ruby sabe sobre o verdadeiro amor, a família, o destino e seu próprio coração?

Li o primeiro romance da autora Deb Caletti, chamado “Um Lugar para Ficar“, publicado pela Novo Conceito em 2012, e gostei bastante: um livro não muito profundo, mas que consegue prender o leitor e deixá-lo ávido para saber o desenrolar da trama. Por este motivo, estava um pouco empolgada para ler “Meu amor, meu bem, meu querido“, uma nova história criada pela autora. Mas achei-o um pouco mais fraco do que o primeiro romance.

O livro conta, basicamente, a história de Ruby e seus dilemas. Ela sempre foi aquela menina que nunca saiu da linha, mas quando conhece Travis, começa a cometer algumas ilegalidades. Mesmo que algumas coisas que eles fazem seja contra a vontade dela, ela não consegue parar Travis, pois o garoto parece não saber os limites, e a arrasta para seu mundo confuso e insano. Agora, ela terá que saber como sair desse labirinto em que se meteu. Mas como, se Travis parece não querer deixá-la ir embora?

A história me parece similar ao livro anterior, que citei, pois em “Um Lugar para ficar“, a protagonista também faz de tudo para se livrar do ex-namotado, e ele não aceita o término do relacionamento. Porém, ao contrário da primeira história de Deb, este seu novo livro aborda mais do que apenas este enredo, mas muitos outros que servirão para ajudar Ruby a dar a volta por cima. O problema é que há muitos cenários e, no fim, me pareceu que nenhum deles foi bem aprofundado, muito menos a própria história com Travis.

Para mim, o desenrolar do relacionamento foi superficial e mal finalizado, dando muito espaço à segunda história, que é sobre um grupo de leitura para senhoras, que sua mãe organiza, e sobre uma história de amor que ficou perdida no tempo e que Ruby e suas novas amigas tentam resgatar. Neste momento, parece que entramos em outro livro, onde a história inicial se perde. Talvez toda essa mudança de foco seja, justamente, para mostrar o amadurecimento e a aprendizagem de Ruby, mas não me convenceu.

O livro tem pontos positivos, é claro, como por exemplo as cenas de “aventura” que, apesar de também se mostrarem narradas de forma superficial e terem mais promessa do que ação, fazem o leitor se divertir. A história também mostra a superação de uma pessoa e que você, às vezes, precisa ouvir mais o que os olhos veem e as pessoas falam, e não tanto o que seu coração diz (mas é difícil, né?)

De uma forma geral, eu não diria que não gostei do livro, mas apenas que ele poderia ser mais focado em um objetivo, ao invés de vários. Mesmo assim, é uma boa pedida para aquele domingo preguiçoso, pois a escrita de Deb é fácil, divertida e deliciosa de ler, fazendo você devorar as páginas em pouco tempo.

POSTS RELACIONADOS

8 comentários

  1. Responder

    Cássia

    18/09/2013

    Já li várias resenhas sobre esse livro, e na maioria delas, as pessoas estavam decepcionadas com a história =(
    Ganhei um exemplar de ‘Meu amor, meu bem, meu querido’ em um sorteio, mas ainda não tive a oportunidade de lê-lo. Espero que, como você, eu consiga encontrar pontos positivos e gostar (nem que seja um pouco) da história.

    Beijos [wink]
    http://www.procurei-em-sonhos.com

  2. Responder

    Axwell Godoi

    18/09/2013

    Olá, Gabi.
    Pois bem, eu comecei a ler “Meu amor, meu bem, meu querido”, mas o mesmo não me convenceu em suas primeiras páginas e acabei abandonando-o. Não conhecia este outro livro da autora, confesso que só comecei a ler MAMBMQ por causa da capa, que achei uma gracinha *-* de qualquer forma, darei mais uma oportunidade para o livro.

  3. Responder

    Giulia Pessoz

    18/09/2013

    Ótima resenha!!
    Ameeeei!! <3
    Fiquei super interessada! Amo livro assim!!

    Beijos
    Batom De Framboesa
    Fique com Deus!

  4. Responder

    alice aguiar

    19/09/2013

    acho que por isso que ainda não li meu livro, acho que não vou curtir muito esse livro

  5. Responder

    Beatriz Nathaly

    20/09/2013

    Ainda não tive a oportunidade de ler esse livro, e depois de ler tantas resenha negativas, acho que perdi a vontade até. Mas depois de ler sua resenha, fiquei um pouco animada, é bom ver que ao menos, alguém gostou.

    Beijinhos

    http://www.escrevendomundos.com

  6. Responder

    Thaís Gomes

    20/09/2013

    Já li várias resenhas sobre esse livro, parece que é muito bom. Gostei do post 🙂

    Beijos
    http://a-ultima-moda.blogspot.com.br/

  7. Responder

    Mirelle

    21/09/2013

    Oi Gabi, adorei a resenha, apesar de não ter ficado morrendo de vontade de ler o livro. Sei lá, esse livro nunca me atraiu, e existem tantos legais por aí para lermos. Claro que sou curiosa, então é provável que vá querer conferir este um dia, mas “um dia”.. hehe Beijos, Mi

    http://www.recantodami.com

  8. Responder

    May

    22/09/2013

    Oi Gabi!
    Eu, ao contrário de muita gente, gostei também do primeiro livro da autora, mas ainda não li esse, espero que eu goste também, mesmo que eu ache que não vá ser uma leitura que mexa muito comigo…

    Beijinhos,
    May :*

ESCREVA UM COMENTÁRIO