Rachel Klein – O diário da mariposa

resenha do livro O diário da mariposa

O diário da mariposa
Rachel Klein
Editora Planeta, 2012
336 páginas

Em um colégio interno nos anos 1960, uma garota acha que sua melhor amiga está sendo atacada por uma vampira? Ernessa, a menina nova no colégio. Entre terror psicológico e mortes suspeitas, o diário da protagonista prende a atenção do leitor, e, apesar de sua narradora também não ser confiável, não conseguimos parar de nos perguntar: será Ernessa realmente um vampiro?

A nossa protagonista, que é descrita na sinopse como uma garota perturbada e que não tem nome (adiantando: não senti falta de um nome para ela), escreve nesse livro em forma de diário, relatando todos os seus dias de interna em uma escola, onde todos são o contrário do que parecem ser. O ambiente retratado é lindo, como em um conto de fadas, mas o que se passa por dentro das paredes dessa construção não é exatamente o que chamaríamos de uma história bonita.

Ela é amiga inseparável de Lucy, a menina que habitava o lindo quarto azul, em frente ao seu. Lucy sempre foi como um sonho de consumo da nossa narradora, tanto que, quando um novo ano letivo se inicia e uma nova menina, chamada Ernessa entra na escola e se torna amiga muito íntima de Lucy, a nossa protagonista começa a se perguntar quem é Ernessa, que está fazendo tudo virar de cabela para baixo – desde a sua amizade com Lucy até sua vida, tomando conta de seus pensamentos.

Então começamos a perceber que a protagonista tem sérios problemas emocionais.

A narrativa flui muito bem, até que a menina começa a se tornar repetitiva em suas dúvidas. Entendo que ela é uma jovem e cheia de problemas, mas a leitura se tornou maçante nessas partes. Porém, o que me deixou irritada de verdade com o livro foi o final. Eu imaginei que o fim revelaria quem é quem, mas não. Só me conformaria se tivesse continuação pra explicar tudo, aí tudo bem.

Às vezes me sentia como se tivesse perdendo tempo ao ler esse livro, mas a verdade é que foi bom lê-lo por causa da construção de cada personagem: podemos enxergar, através da visão da garota, uma personalidade para cada uma das pessoas retratadas em seu diário. E esse foi um ponto positivo embora nada disso me deixe menos frustrada com o final! >.<

Leia se quiser, mas esperando quase nada do final. Eu, pelo menos, me senti meio traída com a ausência de uma finalização. Portanto, leia se quiser. O cenário é bonito e, como eu já citei, o modo como a autora constrói as personagens, através de uma mente perturbada, é interessante. Mas não coloque expectativa nenhuma nele.

POSTS RELACIONADOS

29 comentários

  1. Responder

    Patricia Jabour

    20/09/2012

    Oie! Adorei sua resenha. Esses livros meio que “psicológicos” são interessantes mesmo. Pelo que entendi deste livro me lembrei bastante de “A Menina Que Não Sabia Ler” (tem resenha lá no blog) – o livro inteiro é ótimo, super assustador e fiquei cheia de apreensão. Porém, o final – ou a parte onde há as últimas linhas escritas – deixou muito a desejar. Não sei se fui eu quem não entendi ou o que foi, só sei que me decepcionei…

    A respeito de O Diário da Mariposa fiquei um pouco curiosa pelo fato de poder conhecer realmente cada personagem pela visão de uma pessoa retraída emocionalmente. Acho que ainda lerei por conta disto.

    Mas, por enquanto lerei o que tenho aqui em casa, depois quem sabe 😉

  2. Responder

    Jaqueline Silva

    20/09/2012

    Não gostei da capa, e poxa essa citação é mesmo de dar muita raiva 😡
    Passei por algo parecido esses dias lendo “O começo do adeus”, me senti muito traída por não ter entendido onde a autora queria chegar. Achei muito sem graça a história. 😡
    Enfim, confesso que não fiquei nem um pouco curiosa para ler O diário da mariposa.

  3. Responder

    Gislaine

    20/09/2012

    Poxa, eu adoro a palavra fofa. Ah, qual é a da garota?… Ela deve meso ter problemas.
    Ai, deixa me concentrar aqui. Esse é um liro que, pela capa, eu tenho vontade de ler, Gabi, e também plea sinopse. Mas a tua resenha me deixou um tanto desanimada. Livros com bons personagens são cativantes para mim, mas finais em aberto me irritam muito.

    Gislaine,
    Atualizado, comenta? Jeito Inédito

  4. Responder

    Chel Lima

    20/09/2012

    Este quote crucificou o livro, hahahaha. Bem, não me interessou muito. Nossa, super desanimei – apesar de nem conhecer ele antes. Não acho que faça meu estilo e confesso que até então não fiquei nem um pouco atraída. Mas quem sabe um dia, né. HUEHUHUEUH. Beijos!

  5. Responder

    Juliana Guedes

    20/09/2012

    Oi Gabi suas resenhas sempre ótima e me fazendo ri, nossa eu não animei a ler esse livro na sinopse ele parece ser ótimo,mas como o final deixa muito a desejar nem vou fazer questão.
    “Odeio essa palavra. Fofa. É tão idiota.” kkkkk morri.
    Beijos

  6. Responder

    Beatriz Gosmin

    20/09/2012

    Este livro parece ser bem irritante, mas com uma história legal.
    Adora essa parte de psicologia e uma personagem com problemas deste tipo acho que seria legal de conhecer.

    O triste é se apegar na história, aguardar um final e não encontrar nenhum. 🙁
    Provavelmente não irei ler não.

    Beijos
    http://www.livroseatitudes.com.br

  7. Responder

    alice

    20/09/2012

    o-o ok eu nao leria o livro, quando os finais sao frustantes e eu tenho vontade de queimar o livro eu nem leio ushhuahusuh
    mas ja vi muita gente dizendo que se a pessoa nao gostou outra pode gostar, gente eu sou mt chata pra ler entao eu nao gostaria xp

  8. Responder

    Gengiscan Pereira

    20/09/2012

    Gabi!
    Logo pelo nome do livro já não me interessei, e depois de ler a tua resenha… kkkkk [smile]
    Além de que eu tô com um monte de livros pra ler, então fica difícil, ainda mais quando não vale a pena [dead]
    Beijos, e Feliz 20 de setembro pra nós! [heart] [heart] [heart] [heart]
    Gengiscan Pereira, http://www.booksformenow.com

  9. Responder

    Julia G

    20/09/2012

    UIAhauiHAUIhuiahUIA
    Gostei da observação no final.
    Realmente tenho que concordar com você que um final frustrante até é superado quando sabemos que haverá uma continuação. Eu não suporto histórias mal contadas, mesmo que seja por vários motivos que o livro explica, mas não gosto. Acho que a gente merece pelo menos uma notinha de rodapé ;x rsrs

    Beijos

  10. Responder

    Raíssa Lins

    20/09/2012

    Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas, sinceramente, também não me chamou atenção agora. Não sou muito chegada a livros que sejam tão psicológicos e tudo o mais, principalmente quando sabemos que o narrador é meio desequilibrado (tipo em Dom Casmurro), fico querendo contradizer tudo o que ele fala hahahah

  11. Responder

    beatriz

    20/09/2012

    “Odeio essa palavra. Fofa. É tão idiota.” Poxa gosto tanto da palavra fofa, uso quando não consigo descrever o quanto eu achei tal coisa bonita ou encantadora, por exemplo. Pela capa e nem pela resenha eu leria ele (não estou dizendo que a resenha está ruim), mas não faz meu tipo de livro e gosto quando tem um final legal também. Aqueles finais tipo: ham?? me deixa intrigada haha
    O livro amor fora de hora, foi um livro que eu li que me fiquei com muita raiva dele, um livro todo sem pé e sem cabeça e com um final muito estranho. Fiquei traumatizada com ele >< Por falar nisso você já leu esse livro, Gabi? Queria muito ver alguma resenha dele ou a opinião de alguém sobre ele ^^

    • Responder

      Fluffy - Gabriela

      20/09/2012

      Sim, eu tenho o livro Amor fora de Hora, porque ganhei em uma promoção, mas eu já sei que a maioria das pessoas não gosta, então estou adiando a leitura dele (até porque tenho livros de parceria na fila). Quando ler vou postar uma resenha então ^^
      Beijos, fofa! (também adoro essa palavra, haha!)

  12. Responder

    Preto no Branco

    21/09/2012

    Oooi!
    Bom, já decidi: não vou ler, hahahhahahha.
    Depois de tantas coisas que não me atraem em um livro, só consigo pensar em fugir dele kkkkkkkkkkk.
    Como assim a personagem não tem nome? E pq fofa é idiota? kkkkkkkK!

  13. Responder

    Lyn Biagini

    21/09/2012

    às vezes eles deixam finais em aberto pro final ser como o clima do livro, sei lá… também acho frustrante, mas a exemplo do filme A Origem: ele estava sonhando ou não? Sabe? Isso faz sentido no livro?

    Beijo!

    • Responder

      Fluffy - Gabriela

      21/09/2012

      É que uma coisa que foi o ponto central do livro não foi explicada. Ou eu que não entendi direito, mas não ficou claro :S

  14. Responder

    Ludmila

    21/09/2012

    Gabi,
    Ótima resenha! Clara e sincera… Adoro isso…
    Bom, o livro não despertou minha curiosidade e depois da sua resenha, ai mesmo que quero passar longe do livro. rsrs
    Leitura maçante é dureza!
    Bjos

  15. Responder

    Camila Leite

    21/09/2012

    kkkkkkkkkkk Esssa citação me faria jogá-lo, definitivamente… rs Pareceu meio banal sei lá. Enfim, adorei a sua resenha, muito bem escrita.
    Não sei se eu me acostumaria com essa ideia da personagem não ter um nome, mas quem sabe seja esse um dos diferenciais do livro.
    Beijos.
    Camila Leite

    @sonhospontinhos
    http://sonhosentrepontinhos.com

  16. Responder

    Marla

    21/09/2012

    Fiquei bem interessada pela sinopse, mas depois de ler sua resenha deu uma desmotivada.
    *bye*

    Louca por Romances

  17. Responder

    Ana Ferreira

    21/09/2012

    Gabi,
    Eu confesso que sou bem chegada a livros com fortes tramas psicológicas, desde que bem abordadas, claro. E você não é a primeira pessoa a dizer que “O Diário da Mariposa” é meio cansativo, maçante e deixa muito a desejar.
    Achei interessante o enredo, no geral, essa protagonista sem nome deve ser muito perturbada mesmo… Mas já fico com um pé atrás para lê-lo.
    Beeijo!

  18. Responder

    May

    22/09/2012

    Nunca tinha ouvido falar nesse livro, mas ele não me chamou a atenção! >.<

    Beijinhos,
    May :*

  19. Responder

    Endry

    22/09/2012

    Fiquei bem desanimada com a resenha… A sinopse parecia bem boa, mas estou cansada de livros com finais ruins 🙁 Nem vou perder meu tempo, já que há tantos livros ótimos, né?! 🙂

    Beijo grande :*

  20. Responder

    Michelle

    22/09/2012

    Hahaha… tive de rir da sua indignação com a citação. Mas acho que faz sentido, não? Quero dizer, se a personagem é meio desequilibrada e, ao que parece, ciumenta e invejosa, do tipo que tem raiva da felicidade alheia, nada mais lógico que ter raiva de coisas fofas, né?
    bjo

    • Responder

      Fluffy - Gabriela

      22/09/2012

      Entendo sim a razão da personagem em falar isso sobre a palavra “fofa”. Mas PÔ! “Fofa” é uma palavra fofa demais, hahaha! Brincadeira 🙂
      Beijos.

  21. Responder

    Igor Thiago

    22/09/2012

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK:

    Obs: Essa citação me fez querer jogar o livro pela janela, literalmente:
    “Odeio essa palavra. Fofa. É tão idiota.” p. 110.

    eu quase morri de rir aqui. Imaginei você jogando o livro mesmo pela janela. Parece ser bem legal o livro, por que não tem muita aquela coisa de vampiros ‘porpurinados’, brincadeirinha. Mas esse título me chamou muito atenção, contrário da capa. Pela sinopse eu fiquei interessado. E, como a resenha percebi que alguns momentos você desgostava do livro. Esse, é um livro que você indica?

    Beijos;*

    • Responder

      Fluffy - Gabriela

      22/09/2012

      Como eu disse na resenha, indicaria a leitura pra poder conhecer os personagens através da visão de uma pessoa “desequilibrada”. Mas que seja lido sem qualquer expectativa de um final bom, porque ele me decepcionou nessa parte. =/

  22. Responder

    Raí

    23/09/2012

    Gabiiiiiii, volteeeeei!!! [smile]
    Nossa, eu não consigo gostar da capa desse livro, e a sinopse não me atrai em nada 😡
    Gostei da sua resenha, só talvez algum dia eu dê uma chance a esse livro, ainda não sei…

    PS: Como é possível alguém achar a palavra fofa idiota?
    PS²: Meu comentário ficou super inútil, sorry! Perdi a técnica hahahah xD

    Beijos,
    Raí ~ http://raiwrites.com [smile]

  23. Responder

    Cheiro Livros

    23/09/2012

    Que pena, o título do livro é tão convidativo, lindo de verdade /: Mas não tem nada que eu mais odeie do que enredo não concluído. A personagem parece ter um impacto psicológico, mas que me deixou a impressão de ser mais uma mimizice de uma adolescente haha Esse eu passo! kkk

    Mi – CheiroLivros.com

  24. Responder

    Débora

    23/09/2012

    Uma droga quando o final do livro, ou falta dele, faz com que a gente se sinta traída de alguma forma, né? Já tinha visto esse livro antes, mas a verdade é que ele nunca me chamou atenção. Agora então é que eu não dou uma chance pra ele tão cedo.
    Adorei o seu comentário em relação a citação no final da resenha.rs
    Beijos!

  25. Responder

    Lucas Maia

    24/09/2012

    Oi Gabi,
    achei diferente não ter um nome para a protagonista e realmente bem estranho, porque sempre tem né!
    Quando olho pra capa senti uma certa melancolia e até compreendo com a citação que você colocou no final. Dela (eu acho) não gosta de nada fofo.

    Beijos Gabi

ESCREVA UM COMENTÁRIO