O romantismo, a delicadeza e as flores de hoje.

Uma das coisas que eu considero mais interessante do passar do tempo é o fato de a gente poder mudar os gostos e opiniões em qualquer parte do caminho. Há alguns anos, o meu “eu” de 15 não se interessaria por muita coisa que considero partes de mim hoje; eu tinha outros gostos, outras opiniões, outros pensamentos. O tempo faz a gente escolher amores que nos caiam melhor, que nos completem, que digam quem nós realmente somos. Por isso, o “eu” do início dos anos dois mil era alguém bem diferente do que sou agora. Hoje sou melhor, claro, pois a gente sempre tende a evoluir positivamente; mas isso não quer dizer que ontem eu fui pior.

Lá pelos meus 15 anos, eu tinha outro estilo, e ninguém diria que aquela Gabi se tornaria essa Gabi. O meu armário era essencialmente preto, meu estilo de música era o rock (ou o que eu achava que era rock naquela época!) e eu vivia um tanto revoltada com tudo e com nada, sem motivo aparente. Oh, sim, tinha um motivo: a adolescência! Fui do loiro para o super loiro, depois loiro com rosa, aí migrei para o preto e, na descoloração, fui semi-ruiva. Tênis: All-Star. Deu pra ter uma ideia?

As mudanças foram ocorrendo gradativamente. Enquanto usava preto, o meu interior me dizia para colocar uma corzinha, e essa voz falava cada vez mais alto. O meu cabelo cansou de ser tingido e voltou à cor original. As opiniões, a voz e o tênis deixaram de ser revoltados e passaram a enxergar um mundo menos ruim. E, com o tempo, eu comecei a minha transição para quem eu sou hoje. Gradativamente, sem que eu percebesse. Em essência, sou a mesma pessoa, só que com outras formas de pensar e com novos amores, como eu gosto de chamar.


No design, a gente chama de moodboard (ou painel semântico, mas moodboard é mais legal) uma montagem de diversas imagens e elementos que podem definir ou dar a ideia de alguma coisa. Então, eu criei um moodboard de um estilo que me define hoje. É claro que eu não sou absolutamente isso, pois seres humanos são muito mais complexos.

O romantismo, a delicadeza e as flores estão por toda parte e gosto de me definir por isso, pois são as coisas que mais adoro e que quero que façam parte do meu mundo (e querer algo é muito importante). E, assim como amanhã eu posso mudar de ideia de novo, hoje posso dizer que sou mais ou menos assim – um contraste do que eu era ontem.

E você, o que te define hoje? Qual é o estilo que você quer no seu mundo?

POSTS RELACIONADOS

30 comentários

  1. Responder

    Jessica M

    setembro 10, 2014

    Já tive e passei por essas fases na adolescência, mas acho que hoje me encontrei (pelo menos por enquanto! rs). Também já passei pela fase do romantismo, vintage, coisas fofas, e essa também já acabou. Hoje gosto mais do moderno, simples e um pouco delicado, mas ainda amo o rock.
    Adorei a ideia de colocar um moodboard. O meu é uma pastinha no computador com algumas das coisas que eu acho legal rsrs.
    Beijos!

  2. Responder

    Camille

    setembro 10, 2014

    Vou falar: sempre quis ter o estilo romântica. O que foi fail absoluto, porque simplesmente não é para mim. Acho que fico mais no confortável, no fofo. Sou o tipo sem tipo, sabe? Pra tudo =S Um dia ainda consigo me definir assim HAHAHAH

    • Responder

      Gabi Orlandin

      setembro 10, 2014

      Cami, como disse no post, é difícil definir uma pessoa, pois a coisa é muito complexa, então é claro que eu não sou assim o tempo todo. É só que quando vejo algo nesse estilo, eu me derreto toda, e as pessoas falam que é a minha cara. Então… acho que é. Hahha!

  3. Responder

    Cami

    setembro 10, 2014

    Gabi, eu amo moodboards! <3

    Postei semana passada um no meu blog também. Eu fico bem inspirada enquanto estou fazendo. Adorei a delicadeza das coisas, combinou muito tudo, as cores, textos, e tudo mais.

    Saudades de aparecer por aqui!
    Tudo lindo Gabi. 🙂

    Beixos!

  4. Responder

    Raíra Mercês

    setembro 10, 2014

    Oi, Gabi!
    Também me sentia da mesma forma que você… Bem, já tive vários estilos. E o que me agrada hoje em dia é mais pro lado romântico. Lacinhos, corações, flores… essas coisas que me agradam, sabe. Gente, nunca estive tão inclinada para o rosa como eu me vejo hoje em dia. E isso tem me deixado louquinha. Tento fugir, mas acabo indo pro rosa novamente. Hahahaha! Não tem pra onde correr.

    Obrigada pela visita lá no meu blog, Gabi. Amei demais, viu?
    Um beeeeeeijo! s2

  5. Responder

    Carla Vieira

    setembro 10, 2014

    Gabii adorei o seu texto de paixão [heart]
    Eu ainda sou muito novinha (16) para perceber as mudanças que o tempo causou, mas achei interessante que o seu “eu” de hoje parece bastante comigo rsrs
    Indentifiquei-me muito com o seu moodboard. Beijos

  6. Responder

    Dani Mendes

    setembro 10, 2014

    Sempre e, qualquer um, passa por essa fase da adolescência que chamamos de revolta, tudo fica preto e ruim, o rock chega como se fosse para representar essa lado. Mas sabe, tive essa fase e digo que já passei, mas o amor pelo rock ficou e descobri que você não precisa vestir somente preto, camisas de banda, all star, e sombras pesadas para gostar desse estilo. Meu mundo hoje é mais colorido, é mais alegre, mais constante, aprendi a gostar de outros estilos musicas e a descriminar menos. Hoje o que me define não é somente uma “tribo” ou características é a mistura disso tudo, porque eu posso sim gostar de um pouco de muita coisa.
    Beijos
    Dezesseis de Volta | Fan Page

  7. Responder

    Mariana Oliveira

    setembro 10, 2014

    Não dá pra negar, toda menina tem o seu lado romântico. Vou ser bem sincera, minhas cores favoritas são preto e roxo, de modo geral. Mas quando olho estes objetos, essas delicadezas, eu não consigo resistir. Gosto de coisas simples, básicas, mas não resisto as coisas fofas, sou meio confusa. Haha.
    Adorei o seu painel e achei a ideia muito legal. Parabéns!

  8. Responder

    Maria Fernanda

    setembro 10, 2014

    Muitoamô pelo estilo romântico <3

  9. Responder

    Ray

    setembro 10, 2014

    Que lindo post Gabi [happy]
    O seu moodboard ficou super fofo, bem cara de fluffy! [heart]
    Ainda não sei definir que estilo seria o meu mundo por aqui, mas com certeza teria muita cor, na medida do possível em que fosse também transparente de sentimento.
    O que me define hoje, são os livros que já li, as experiências que passei, as canções que escutei e tudo aquilo que compõe o futuro, porque acredito que mesmo a iminência dele e daquilo que ainda não existiu também nos molda para uma vida mais nossa. [smile]

  10. Responder

    Beatriz Cavalcante

    setembro 10, 2014

    Oie Gabi!

    Sei como são essas fases. As vezes eu paro para pensar e vejo que eu mudei muito de uns tempos para cá. Mas como você disse, a gente continua sendo a mesma pessoa, a mesma essência.

    Eu já tive épocas em que só usava roupas coloridas, shorts e saias. Ai veio a época da camiseta e calça jeans, do all star (essa ainda não passou) e agora eu tô numa fase mais menininha eu acho. Mais florzinhas, sandálias e as vezes arrisco uma saia. Mas acho que mesmo assim sou sem estilo. hahaha

    E o estilo que eu quero no meu mundo, acho que deve ser bem parecido com o seu. Todas essas fotinhos e coisas no mesmo estilo me encantam. Então eu pegaria isso como inspiração. ♥

    Vou aproveitar o comentário e dizer que estou de volta no mundo dos blogs. hehe 😛

    Beijos!

  11. Responder

    Manu

    setembro 11, 2014

    Ahhh, que post lindo! Que moodboard lindo! (eu não conhecia esse conceito, mas achei bem legal)! Gostei muito desse post, Gabi… e jamais imaginaria que você tinha passado por essa fase “dark” na adolescência hahaahha 😛
    Mas mais que isso, é tão gostoso olhar pro passado e ver que a gente mudou, que pudemos deixar pra trás algumas coisinhas, aceitamos outras que a gente jurava odiar… e evoluir sem se ater a elas! Nos últimos anos eu também acabei ficando mais chegada a essas coisinhas delicadas, florzinhas, tons pastéis e outras fofuras. To abraçando esse lado fofinho sem medo de parecer criança demais… acho que se o mundo não traz fofura pra nossa vida, a gente mesmo tem que trazer haha 🙂
    beijo, Gabi!

  12. Responder

    Camila Lacerda

    setembro 11, 2014

    Isso é perfeito demais Gabi *-*
    Não conhecia esse termo para isso.
    Muito lindo!!
    Vindo aqui é inacreditável te ver vestida toda de preto kkkk

    http://www.chadecalmila.com

  13. Responder

    Amanda Almeida

    setembro 11, 2014

    Oi Gabi, tudo bem?
    Depois de ler seu post pensei em como eu era. Eu mudei muita coisa, e muito da minha essência permaneceu, mas é impossível não mudar. Antes, no inicio dos anos 2000 eu amava Backstreet Boys, de mais mesmo. Mas hoje já não é algo que eu ame, mas apenas algo que eu tenho carinho. Tive momentos patricinha, momentos meio roqueira, mas no fim nunca foi algo de fato que fosse uma característica dominante. Hoje acho que sou apenas a Amanda, uma pessoa tranquila que trabalha e tenta ter o maior tempo de qualidade com a família. Tenho meu lado romântico, meu lado mais séria e meu lado moleca, mas acho que a palavra que define esse momento é harmonia. Na adolescência não temos muito disso, mas quando essa fase passa, acho que as coisas começam a entrar nos eixos e a sincronizar.
    Abraços, e ótima reflexão flor.
    Amanda Almeida

    • Responder

      Gabi Orlandin

      setembro 11, 2014

      Oi, Amanda! Tudo bem.
      Concordo plenamente contigo. Nós não temos tempo (nem consciência no lugar certo) pra analisar tudo isso na adolescência, mas quando o tempo passa, a gente percebe. E isso é bom 🙂
      Beijos.

  14. Responder

    Patricia Leardine

    setembro 11, 2014

    Lindíssimo blog! [wink] Eu mesma aos 15 anos jamais me interessaria por flores ou coisinhas mais delicadas, rosas, pastéis. O meu eu de hoje encrencaria com os gostos do meu do passado.

  15. Responder

    Amanda Melanie

    setembro 11, 2014

    Oi, Gabi!
    Respondendo à sua pergunta acima: Não sei. Não consigo me definir. Acho que é uma das coisas mais complexas pra mim.
    Amo o seu estilo, todo cor de rosa e fofo! Tenho um pouco disso também e acho muito legal que você tenha notado uma grande mudança em sua personalidade no decorrer dos anos.
    Durante os últimos anos, a única mudança evidente em minha vida foi a timidez. Sou muito mais na minha do que era antes. Fico cada vez mais a sós com meus livros e no meu mundinho particular. Mas não considero isso uma coisa ruim. Faz parte de quem eu sou e me sinto bem com isso.
    Acho que fugi um pouco do assunto, né? hahaha

    Linda escolha das fotos. Uma mais gracinha que a outra.

    Beijos

    • Responder

      Gabi Orlandin

      setembro 11, 2014

      Amanda, acho que não tem problema em você ficar no seu mundo, com seus livros – até porque isso é a coisa mais linda de se fazer, eu também amo. Mas eu acho (e aprendi na marra) que temos que sair um pouco dessa caixinha às vezes, sabe? Interagir e conversar com as pessoas. Eu fui desenvolvendo isso aos poucos e hoje sou muito mais comunicativa.
      Não tem problema fugir do assunto, o legal é a gente conversar 🙂
      Beijos.

  16. Responder

    Isabella de Paiva

    setembro 11, 2014

    Cara, como não se identificar com esse texto? haha Sou completamente de acordo e minhas mudanças foram basicamente iguais as suas, só que hoje, ao invés de romantismo – que acho lindo e me inspiro as vezes – tenho uma pegada meio boho e meio street, sabe? Muito, mas muito, diferente da Isabella de 15 anos que só usava preto e achava que ouvir algumas bandinhas que hoje acho toscas demais e que sei que não são rock hahah era ser “rock n’ roll” hahahaah ainda bem que o tempo passa.

    Um beijo,
    Isabella
    The Urban Trends

    • Responder

      Gabi Orlandin

      setembro 11, 2014

      Ainda bem que o tempo passa mesmo, Isabella! Hahhaa!
      Beijos <3

  17. Responder

    Amanda Soares

    setembro 11, 2014

    [heart] Gabi! Confesso que sempre achei você muito leve, e nunca pensei que você já teve sua fase “negra” HAHAHA Acho que todo mundo passa por isso, alguns permanecem e outros mudam, e isso é bom se fizer bem a pessoa, né? Eu sou muito os dois lados, sou como o meu humor, sabe? Adoro o leve,o calmo, mas ás vezes sem perceber também me visto de preto e pinto uma mecha do cabelo pra dizer que sou diferente. u.u HAHA
    AMEI essas fotos, ficou tão você. [heart]
    Mudar faz bem, sempre. <3

    Beijo!

    • Responder

      Gabi Orlandin

      setembro 11, 2014

      É difícil de acreditar até para mim, imagino pra quem só me conhece pelo blog! 😛 Sim, também acho que todos passamos pelas nossas fases estranhas, mas que bom que o tempo passa e a gente encontra a própria essência – mesmo que ela seja “mutável” como a sua. Também é legal, você é alternativa! 🙂
      Beijos.

  18. Responder

    Wall Aguiar

    setembro 11, 2014

    Gabi, você me definiu nesse post. Eu também sou assim, antigamente meu cabelo era super vermelho, tinha piercing no nariz, vários furos na orelha (nossa, até rio lembrando). Mas hoje eu me encontro uma pessoa totalmente diferente meiga, delicada, a maioria das minhas roupas são florais. E hoje que estou perto de ter um bebê, me sinto mais amorosa, cuidadosa e detalhista. Amei esse post linda! [heart]

  19. Responder

    Gabi Barbará

    setembro 12, 2014

    Chará, achei lindo esse moodboard, super delicado!

    bjs de Filipinas,
    Gabi Barbará
    Barbaridades!

  20. Responder

    Renata Carvalho

    setembro 12, 2014

    A gente sempre passa por muitas fases, muitas mudanças, e isso é um fato. Nada dura para sempre, nossas opiniões mudam, nossa aparência, nossos gostos. Tudo faz parte de crescer e amadurecer, se descobrir como pessoa.
    Meus pais e irmãs gostam bastante de rock, usam camisetas de bandas, bandanas, olho preto e por aí vai. Já eu sou bem o oposto, gosto de música pop, flores, fofuras e me sinto bem com isso, sinto que essa atualmente sou eu. Às vezes sou julgada, dizem que sou “fresca”, mas nem ligo, essas pessoas simplesmente não entendem e nem perco o meu tempo tentando explicar.
    Enfim, ótimo texto!

    Beijos,
    Livro de Memórias

    • Responder

      Gabi Orlandin

      setembro 14, 2014

      Re, é bem engraçado quando imagino pais que ouvem rock e vestem camisa de banda, essas coisas. Porque por aqui onde moro, pais são meio diferentes, sabe? Hehehe. Mas conheço uma família que é assim, os pais e a menina com esse estilo e é bem legal. Sobre acharem que você é “fresca”, não dê bola mesmo. Se você se sente bem sendo quem você é de verdade, é isso que importa! 🙂
      Obrigada pelo comentário.
      Beijos.

  21. Responder

    Eloísa

    setembro 12, 2014

    Que post lindo. amei 🙂
    Acho que nunca tive um estilo rs sou bem básica mesmo. Nem faço o estilo romântica,nem “rock” gosto das personagens femininas do “Mundo Marvel”. Acredito também que pulei a fase adolescente rs e se fosse me definir hoje, me definiria como uma super indecisa [smile]

  22. Responder

    Nataly

    setembro 13, 2014

    Gabi, eu super me identifiquei com você neste texto. Nos meus 15 anos eu também era revoltada, no meu armário só tinha roupa preta e meu cabelo era um arco-íris. haha Já foi loiro, preto, verde, azul e hoje é vermelho.
    Mudei muito e, assim como você, me identifico com “romantismo, delicadeza e flores”.
    Adorei te conhecer um pouco mais, ainda mais por me identificar tanto.
    Beijos.

  23. Responder

    camille paes camargo

    setembro 14, 2014

    seu blog é lindo! inspirador !remete relflexoes ,boas de lembrar ,sentir, viver continue, queremos mais ,posso dar uma sugestão ?escreva um texto sobre manhã , fim de tarde de sábado e de um dia quente de domingo iria adorar ler seu texto e observar qual a sua marca sobre os assuntos bjs

ESCREVA UM COMENTÁRIO