Sophia Amoruso – #GIRLBOSS

Depois que eu e meu namorado maratonamos o seriado #GIRLBOSS da Netflix, ficamos meio doidos pra saber mais sobre a história de Sophia, a menina que vendia roupas vintage pelo eBay e hoje está à frente de uma das maiores lojas de roupas femininas dos Estados Unidos. O seriado mudou alguns fatos da vida dela, mas a própria Sophia Amoruso escreveu um livro relatando sua própria trajetória – dessa vez sem tirar nem pôr -, que foi publicado aqui no Brasil em 2015 pelo selo Seoman, do grupo editorial Pensamento.


Resenha do livro GirlBoss Nasty Gal Sophia Amoruso

#GIRLBOSS
A inspiradora história da executiva de 100 milhões de dólares, CEO do site Nasty Gal
Sophia Amoruso
Editora Seoman, 2015
248 páginas

Cupom de desconto Walmart

Sophia Amoruso passou a adolescência viajando de carona, furtando em lojas e revirando caçambas de lixo. Aos 22 anos ela havia se conformado em ter um emprego, mas ainda estava sem grana, sem rumo e fazendo um trabalho medíocre que assumiu por causa do seguro-saúde. Foi aí que Sophia decidiu começar a vender roupas de brechó no eBay. Oito anos depois, ela é a fundadora, CEO e diretora criativa da Nasty Gal, uma loja virtual de mais de 100 milhões de dólares, com mais de 350 funcionários. Além da história de Sophia, o livro cobre vários outros assuntos e prova que ser bem-sucedido não tem nada a ver com a sua popularidade; o sucesso tem mais a ver com confiar nos seus instintos e seguir a sua intuição. Uma história inspiradora para qualquer pessoa em busca do seu próprio caminho para o sucesso.

Resenha do livro GirlBoss Nasty Gal Sophia Amoruso

Quando fiquei sabendo sobre este livro, corri pra adquirir um exemplar. Afinal, como alguns de vocês sabem, eu e meu namorado somos donos de uma loja virtual há quase dois anos, então a história da Sophia serviu pra nós como um exemplo da nossa geração. Além disso, o mundo está cheio de grandes e excelentes exemplos de pessoas que superaram obstáculos e hoje são líderes no que fazem, mas a Sophia, está bem dentro da área que atuamos.

Pra começar, o livro possui um acabamento de materiais e diagramação perfeitos. As folhas são grossas, amareladas, o tipo de letra é fácil de ler, e a capa está lindíssima. Simples, direta, dizendo ao que veio – bem como a Sophia. Além disso, os capítulos começam com uma ilustração e uma frase motivacional – nada chata, bem real e direta, como sempre.

Resenha do livro GirlBoss Nasty Gal Sophia Amoruso

Sophia começa falando sobre a sua trajetória até ser a CEO da Nasty Gal, de forma bem resumida, e depois volta ao seu passado pra contar um pouco sobre a sua adolescência: os furtos, as caronas de beira de estrada e os empregos fracassados que teve. Sophia sempre pensou grande, nunca se contentando em fazer algo em que ela não fosse realizada. A sua vida teve muitos altos e baixos; ela experimentou de tudo e praticamente aprendeu tudo sozinha. De uma lojinha no eBay, ela fundou sozinha uma empresa que, em sete ou oito anos, teve o maior crescimento que o país já viu.

Todo mundo que viu a série sabe que Sophia tem um estilo icônico! Inclusive, várias fashionistas e blogueiras da internet falaram durante um tempo sobre os looks incríveis que apareceram nos episódios e sobre a forma como ela se porta. Além desse fato, eu também já tinha percebido uma personalidade um tanto forte na personagem, e pude constatar isso pela forma como ela escreve no livro. Sophia não é muito modesta sobre o poder que ela exerce, sobre a fortuna que acumulou, sobre todo o patrimônio que construiu e sobre as façanhas que fez na vida. Ela fala com propriedade sobre certas coisas que, no meu ponto de vista, não precisariam estar ali. Uma pessoa que não conseguia manter um emprego fixo por muito tempo não pode falar, agora, que você deve começar por baixo, aceitando um cargo mediano, e ter paciência para chegar a um cargo mais elevado. Ela nunca teria feito isso na vida pois nunca aceitou um emprego qualquer, então ficou forçado o fato de ela dedicar um capítulo pra dizer o quanto você deve honrar o seu emprego e se dedicar ao que vai fazer, independente do que seja. Sim, ela cresceu e evoluiu muito, mas eu não falaria com tanta pompa sobre algo que eu mesma não fui durante grande parte da vida.

Além disso, eu não acho bonito dizer que você roubou e foi contra a lei e fez tantas coisas ilegais na sua adolescência, com certo grau de orgulho. Não é bonito fazer essas coisas, mas eu senti que ela se orgulha dessa fase – apesar de dizer que não. E, por fim, achei bem contraditório mudar de uma adolescente anarquista, contrária ao capitalismo, que sempre foi contra grandes empresas detentoras do poder, para a defensora do capitalismo quando se tornou CEO de uma grande empresa. Me pareceu muito: enquanto não tenho dinheiro, sou contra as pessoas que ganham dinheiro, mas quando tenho dinheiro, então está tudo certo.

Resenha do livro GirlBoss Nasty Gal Sophia Amoruso

De qualquer forma, grafei várias frases e parágrafos maravilhosos que ela escreveu neste livro (que vão render um post todinho!), com ensinamentos que podemos levar para várias áreas da vida – mesmo se você tem uma loja virtual ou não, mesmo que você queira seguir uma carreira de empresária ou não tenha essa ambição. Mesmo com todos os detalhes da personalidade irritante dela, não podemos negar que ela construiu, sim, uma grande empresa a partir de seu próprio quarto, sem saber nada sobre vendas, e contra todas as probabilidades e conselhos alheios. Sophia Amoruso é um exemplo de força de vontade, dedicação, crença nos sonhos e amor pelo que faz. É uma grande inspiração pra mim!

POSTS RELACIONADOS

2 comentários

  1. Responder

    Raissa Novaes

    13/06/2017

    Olá!
    Eu terminei a série e corri para ler o livro também 🙂
    Achei a série muito boa, o Netflix sempre arrasa! Quanto ao livro achei a Sophia um pouco contraditória sobre como ela era antes e no que acreditava, e suas opiniões depois que se tornou a CEO.
    Mas a diagramação do livro ficou maravilhosa, criativa e com certeza com muitas frases inspiradoras.
    Beijos!

    • Responder

      Gabi Orlandin

      13/06/2017

      Oi, Raissa!
      Também achei muito forçada a mudança dela. É como eu coloquei na resenha: ela nunca teve um emprego fixo por um bom tempo, ainda mais nunca aceitou empregos “medianos”, e agora dá dicas de como as pessoas devem fazer exatamente isso e não esperar atingir o topo de uma só vez. Contraditório mesmo!
      Beijos!

ESCREVA UM COMENTÁRIO