Uma viagem ao Castelo Rá-Tim-Bum!

ATENÇÃO! Alguns avisos antes de começar a ler esse post:
Por alguns minutos tire o que lhe prende a tensões, problemas ou complicações. Por alguns minutos esqueça que algo deu errado, que o leite derramou, que a chapinha queimou seu dedo ou que o ônibus passou mais cedo hoje. Lembre-se apenas de uma coisa – e de outras que esta primeira possa vir a lhe fazer lembrar: a criança que você foi e que, com amor e uma pitada de sorte, ainda mora dentro de você.
Agora sim…

Imagine estar caminhando pela sua cidade e se deparar com um Castelo! Nada de torres cinderelescas e cheias de ouro, mas algo que parece ter estado sempre ali, pela harmonia com que se encaixa naquele caminho. E com a imaginação e curiosidade, ambas características aguçadas de crianças, você entra neste Castelo. Encontra um Relógio simpático, uma Cobra tagarela e um Gato que gosta de poesia. Encontra também um menino estranho e amigável, e que chegou à incrível e assustadora marca dos 300 anos! Alguns minutos neste Castelo e você pode ouvir lendas de povos indígenas, viajar pelo espaço ou conhecer um pouco da história de um pintor famoso. Um lanche! Por que não?! Surrebrifru para recarregar as energias e acompanhar o ritmo de dois irmãos gênios e malucos, mas não antes de uma lição de higiene e uma de matemática. E já pensou que incrível poder dizer a tudo isso: “Tchau, não! Até amanhã!”? Seria um sonho, não? Mas, por vezes, já me pareceu quase tocável…

Quem nunca chegou da escola correndo ou largou, ao menos uma vez, o jogo de bola ou de rouba bandeira na rua para ir correndo para casa assistir ao Castelo Rá-Tim-Bum? Quem nunca disse ou conhece/conheceu alguém que soltasse, despretensiosamente, no meio de uma conversa coisas como “’Porque sim’ não é resposta!” ou “Plift Ploft Stil, a porta se abriu!” tá, essa só lembro de uma pessoa dizendo: eu! Para mim, um dos melhores programas lúdicos de todos os tempos. A grande cartada da TV Cultura. Era fácil se envolver nas brincadeiras, nas histórias da Caipora e da Morgana. Era simples se imaginar deslizando pelos encanamentos do castelo, se enrolar num trava-língua do Mau ou responder às senhas do Porteiro.

Esses dias (re)descobri dois vídeos no YouTube sobre o Castelo. O primeiro bem curto, de pouco mais de 30 minutos, produzido por 8 alunos de Rádio e TV da Universidade Anhembi Morumbi. O segundo, com pouco mais de 60 minutos, foi a exibição de 09 de maio de 2012, em comemoração ao aniversário de 18 anos do Castelo, do programa cmais+.

Com essa (re)descoberta, veio um sentimento tão saudosista que quase superou essas coisinhas que a gente costuma sentir durante esses “rituais” de passagem de ano. Revi vários episódios e por vezes revisitei salas de outras casas em que morei, escolas em que estudei e muito de minha infância. E fiquei emocionada com cada minuto que assisti desses vídeos e o meu encanto por trabalhos feitos para crianças, cheios de efeitos visuais, mas também de simplicidade e ingenuidade infantil, que instigam imaginação e criatividade e que despertam, de alguma forma, crianças que se deixaram, por descuido ou necessidade, adultecer, só aumentou e quis buscar espaço fora de mim. Por isso, quis dividir com vocês uma das melhores lembranças da minha infância.

É de emocionar, mesmo, conhecer alguns detalhes do Castelo e ouvir das pessoas que o fizeram, na frente ou atrás das câmeras, a emoção e alegria de ter participado de algo que foi um marco na vida de muita gente, inclusive nas deles.

“Só esse trabalho, pra mim, justificaria o fato de eu ter escolhido
essa profissão… essa carreira”
(Sérgio Mamberti – Dr. Vitor)

Aos, como eu, visitantes do Castelo, espero que tenham gostado de voltar a vê-lo, inteiro e ainda vivo, em nós. Aos que se permitiram agora, espero que voltem. E que se permitam sempre, todos, pelas estradas da imaginação e da curiosidade. É sempre bom tentar lembrar de como era ser criança. E o ser, de fato. Para descansar, para se divertir, ou para acreditar mais.

POSTS RELACIONADOS

16 comentários

  1. Responder

    Aline T.K.M.

    07/01/2014

    Uau, sessão nostalgia total. Castelo marcou toda uma geração; lembro que era um dos meus programas preferidos aos meus 8, 9 anos, não perdia um capítulo sequer! Ao lado de Mundo da Lua, Carrossel (o antigo) e o próprio Rá-tim-bum, é um dos melhores programas infantis já feitos!

    Um beijo, Livro Lab

    • Responder

      Karol Vieira

      08/01/2014

      Mundo da Lua!!! *-*
      A TV Cultura sempre foi incrível.
      Queria ter mais tempo de assistir hoje em dia. E queria que a programação fosse cada vez mais valorizada. Mas a gente segue fazendo nossa parte, né? 😀

      Beijo, querida,
      Bons dias!

  2. Responder

    Juliana

    07/01/2014

    Eu assistia todos os dias, e ainda hoje tenho algumas manias de falar de Castelo Rá Tim Bum! kkkkkkkk
    Sabe que às vezes me pego pensando a música do banho do Ratinho, assim, do nada!
    Adoro demais, amei os vídeos, amei o post :}

    Beijos!

    • Responder

      Karol Vieira

      08/01/2014

      O ratinho é uma graça!
      Eu gosto de ficar imitando as vozes dos restos de comida, daquela música da escova de dente: “Nóóóós… Somooooos… Os reeeestos!” hahaha

      [smile]

  3. Responder

    Camila

    07/01/2014

    Ahhhh, que post imensamente joia! 😀
    Na verdade eu ainda uso o “porque sim não é resposta” e decoro os ossos tíbia e perônio por culpa deles. hahahha
    Cresci vendo a Cultura, ótima dica os videos!
    E não que tenha muito a ver, dá vontade de responder “porque sim não é resposta” pro último comercial da Nova Schin. *risca a última frase. rsrs*

    Bjos.

    • Responder

      Gabi Orlandin

      07/01/2014

      Hhahaha! Dá vontade de responder pro comercial mesmo! Não gostei dessa nova “ideia” deles – e não lembra muito aquela da Pepsi, “pode ser Pepsi”? Pra mim, lembrou! rs!

    • Responder

      Karol Vieira

      08/01/2014

      As aulas de biologia até ficavam mais interessantes depois de a gente conhecer esses nomes! [happy]

      Gente, tô rindo ainda pq sou lenta. Num sei que comercial é esse, não! [dead] kkkk

  4. Responder

    Anny Rosario

    07/01/2014

    Verdade, né? É muito gratificante ver nossa infancia exposta de maneira suave e gentil, é recompensador fazer trabalhos como esse.
    Fiquei muito emocionada: adorei!

  5. Responder

    Roberta

    07/01/2014

    Nostalgia total. Esse foi um dos programas que marcaram minha infância. Assistia todos os dias.

  6. Responder

    Luna Grilli

    07/01/2014

    Que lindo esse post! Pelos vídeos serem bastante longos, terei de vê-los outra hora, mas foi bom um post para relembrar dessas maravilhas que vivenciava quando tinha apenas 6/7/8 anos idade. Beijos.

  7. Responder

    Babi Lorentz

    07/01/2014

    Karol, seu texto me prendeu de um jeito tão legal que me fez voltar ao tempo em que eu queria assistir Castelo Rá-Tim-Bum o tempo inteiro. Senti uma sensação de nostalgia tão legal que não consegui parar de assistir aos vídeos que postou! Simplesmente perfeitos!
    É interessante olhar pra trás e ter a certeza de que na minha infância eu pude assistir um desenho tão legal como este e super educativo. Era maravilhoso aprender com eles.
    Beijos.

    • Responder

      Karol Vieira

      08/01/2014

      Ô, Babi, que bom que gostou e que brincou com essa “viagem”. A ideia era, mesmo, voltar um pouco e reviver, ao menos em sentimento, coisas que valeram a pena.

      Beijo =*
      Bons dias!

  8. Responder

    Brenda Silva

    07/01/2014

    [heart] aaaah, saudades da minha infância ;-; eu amava tanto o Castelo Ra-Tim-Bum !! Amo até hoje, e lembro ainda dos dias que eu chegava da escola e ia correndo pra sala apara colocar na TV Cultura pra ver esse programa. Com certeza marcou muito minha vida *-*

    Crazy Girl ☁

  9. Responder

    Igor

    08/01/2014

    Só digo uma coisa: que postagem perfeita.

  10. Responder

    Ana

    08/01/2014

    Amei o post! Realmente dá uma saudade da infância lembrar do castelo. Eu amava, acho que ainda amo e que se visse uma reprise por acaso pararia o que estivesse fazendo pra ver.

  11. Responder

    Mirelle

    09/01/2014

    Que post delicioso e nostálgico, não adianta, as crianças de hoje não sabem o que são programas de TV de qualidade, pois só antigamente é que tínhamos programas, desenhos e filmes maravilhosos. Quero apresentar todos eles aos meus filhos quando eu tiver. Beijos, Mi

    http://www.recantodami.com

ESCREVA UM COMENTÁRIO